O futuro e nossos medos

Por Jaime Folle

22/03/2019 22:00


Com 18 anos queremos mudar o mundo, logo adiante, aos 40 anos, não queremos mais mudar nada.

 

A pergunta que fica é: por que mudamos a forma de ver e agir com o passar dos anos? Há os que digam que é por conta do envelhecimento. Outros dizem que somos assombrados pela realidade do mundo. E ainda há os que pensam que é o sistema que nos coloca com medo de olhar o futuro e proceder as mudanças que eram tão importantes quando tínhamos 18 anos.

 

Mas que medo são esses?

 

Quando nascemos, trazemos apenas dois medos: o medo de cair e o medo do barulho; todos os demais medos, na realidade, não existem, eles são adquiridos de alguém que sugeriu essa técnica como forma de se defender ou se proteger, ou seja, criados pelo próprio homem para assombrá-lo ou para colocá-lo em homeostase.

 

Por isso é preciso lembrar que nosso inconsciente não diferencia fantasia de realidade. Se ficarmos pensando em todas as vezes que não conseguimos alguma coisa, ou ainda, que não vai mesmo dar certo, que nem adianta começar baseando-se nas experiências negativas anteriores, sua mente irá reagir de acordo com esse pensamento, pois o medo nasce da associação que nossa mente faz entre o mundo real e a fantasia do irreal influenciada pelos outros, onde estão instalados os nossos temores.

 

Os jovens não têm construído dentro de si estes medos e estas fantasias, por isso acham mais fácil proceder as mudanças sem preocupações com os riscos, bem mais do que os mais velhos.

 

Também pelo envelhecimento, a grande maioria se deixa levar pelas interferências de terceiros e começa a colocar na frente os medos e os riscos em primeiro lugar, porém, esquecem que o sucesso mora ao lado de quem corre riscos. Mas este não é o maior problema de quem envelhece, o maior problema é não aceitar o arrojo dos jovens e o grande ganho que é equilibrar o vigor com o que temos, isto é: aproveitar a audácia dos jovens com o medo e os cuidados dos mais velhos sem bloquear em demasia, nem um e nem outro.

 

Isso seria o ideal. Mas o que vemos é uma barreira dos mais velhos com os jovens. Que pena!

 

Até a próxima!


Jaime Folle

Colunista

Formado em empreendedorismo, é um dos mais renomados palestrantes do Sul do Brasil. Está na área desde 2005. É também escritor de vários livros.

jaimefolle@jaimefolle.com.br


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.