Mãe: Como não se sentir mais rejeitado por ela

Por Edipo Paggi

14/12/2018 08:53


Não é a primeira vez que durante as minhas consultas ouço o mesmo questionamento: “Eu gostaria de entender o porquê minha mãe me rejeita tanto”.

 

Talvez essa pergunta permeie a alma de muitas pessoas, na tentativa de compreender o porquê a mulher mais importante da minha vida tem a capacidade de me rejeitar mesmo que ao que tudo indica a figura materna deveria ser no mínimo carinhosa, acolhedora e de muito amor envolvido.

 

Por mais injusto que seja, não é o que parece ser

Mesmo que todos os indícios me levam a crer que sofri uma rejeição verdadeira, na real isso já iniciou muito antes de você nascer.

 

Quem já foi criança sabe disso

Começo a compreender esta situação que acontece comigo quando olho para minha mãe e consigo enxergar a criança interior dela. Isso é mais fácil do que você pode imaginar. Tenta. Apenas traga a sua mente, como se pudesse ver uma fotografia antiga da sua mãe pequena, junto de seu avô e sua avó, os pais dela.

 

Fácil não é? Vamos continuar.



Olhando para esta fotografia, faça esta pergunta: Qual dos dois minha mãe teve mais conflitos na infância? Normalmente, se você for mulher, perceberá que o rosto de sua avó chamará mais a sua atenção.

 

O que não devolvo para um, devolvo para outro

Existe um fenômeno estudado pela constelação familiar chamado de transgeracionalidade que explica como podemos transferir sentimentos de uma pessoa do passado para outra pessoa que veio depois de mim, dentro da família.

 

Agora a ficha cai

É bem provável que você saiba apenas 10% da verdadeira história entre sua mãe e os pais dela, que já é o bastante para compreender que “o desamor parte de outro desamor”.

 

Nas vezes que você sentiu rejeição por sua mãe, saiba que é possível todas as angústias, frustrações, reivindicações que ela não pode dizer aos seus pais, ela transfira isso a você, sem intenção!

 

Trata-se de duas relações de amor muito profundas. São duas mulheres que sua mãe ama muito: Sua avó e você. As chances desses problemas que não foram resolvidos no passado surfarem gerações e chegarem até você são grandíssimas.

 

Foco no que é importante

A parte boa de existir o passado é que ele serve para ser referenciado e não vivido todos os dias.

 

Nem tudo está perdido. Estas memórias antigas fazem parte da sua vida e podem ser utilizadas ao seu favor e não contra você.

 

Principalmente quando você descobrir que o seu pior medo é seu maior aliado e que SEMPRE, a felicidade se esconderá atrás dele (HELLINGER).

 

O que você está fazendo errado pode ser trágico

Eu acredito que assim como eu, você deseja uma vida em paz, leve de sucesso, principalmente na relação com sua mãe, correto?

 

Eu sei que a fé de que tudo isso se resolva é muito digna de alguém de coração muito grande, assim como você.

 

E sei que as vezes você tem motivos para dar e vender para acreditar que essa relação nunca se consertará.

 

Entretanto saiba que a saída é mais simples do que parece. Diria que você deveria seguir alguns passos:

 

1# busque auxílio profissional

Sem um norte, nunca saberemos por onde começar.

 

É necessário ajuda profissional, principalmente se você quer ter mais tempo livre para se ocupar com boas atividades, sua família e seu futuro.

 

Siga estes passos e com certeza esta relação conflituosa se transformará em um lindo laço de amor entre vocês duas!

 

2# coragem

Para dar o primeiro passo e tomar uma decisão de resolver esta relação [com o auxílio profissional esta etapa pode ser passada mais rapidamente].

 

3# acredite no amor

...que você sente por sua mãe. E tenha em mente a resolução de conflitos e não todos os motivos que você tem para reclamar dela. Sem isso você não sairá da estaca zero.

 

Estou contigo! Um abraço.


Edipo Paggi

Colunista

Profissional Facilitador em Constelações Sistêmicas Familiares e Negócios segundo os ensinamentos de Bert Hellinger, pelo Instituto Ashteer do Brasil – Nelson Theston. Nossa temática está relacionada ao autoconhecimento e seu desenvolvimento, o pensamento sistêmico, as relações interpessoais e a espiritualidade livre de dogmas e religiosidade.

atendimentoedipopaggi@gmail.com


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.