Grito de liberdade para a pressão dos novos tempos

Por Jaime Folle

08/05/2019 12:54 - Atualizado em 08/05/2019 12:57



Três pontos são fundamentais para enfrentar os novos tempos: clareza do que quer, mente digital e afetividade.

 

O novo mundo requer que voltemos ao contato humano novamente, por isso, além do tsunami tecnológico que atacou os cérebros humanos nos últimos tempos, o contato físico, amor e as lágrimas, precisam ser revistos novamente. Precisamos com urgência, dentro das empresas, das famílias e da sociedade em geral, voltar a afetividade, abraçar mais, se emocionar mais e amar mais.

 

Hoje vivemos longe dos que estão próximos e queremos ficar próximos dos que estão longe, um processo de inversão dos valores, pois os corações estão clamando por um grito de liberdade, amor e afeto. Parecem equidistantes dos mais juntos e com isso buscamos estes valores a milhares de quilômetros de distância com outras pessoas que muitas vezes mal conhecemos.



A base familiar que deveria pregar com grande afeto, estes valores, está fazendo exatamente o contrário, filhos e pais, parecem robôs instalados nos quatro cantos da casa, cada um vivendo o seu mundo digital, não dialogando mais juntos e conversando sabe lá com quem no mundo virtual.

 

Diante disso, não podemos mais negar a presença da tecnologia em nossas vidas, pois negá-la, é como negar a própria existência na terra. Os avós dos novos tempos que não aprenderem a mexer no celular ou no computador não terão mais seus netos por perto, pois estes estão nascendo com a metade de seus cérebros virtuais, dependem do uso de um dos equipamentos para sobreviver.

 

Os novos tempos estão cobrando um preço muito alto de quem não consegue se adaptar à velocidade das coisas, por isso a ansiedade está se transformando em uma nova doença entre todos, independentemente da idade que tem, todos estamos passando por forte sintoma de ansiedade, e isso está aumentando cada vez mais, o número de depressivos, suicídios, e na melhor das possibilidades angustiados pelas pressões financeiras, cobrança de metas, produtividade e dar resultado de qualquer forma. Onde vamos chegar?

 

Eis o grito de liberdade!

 

Para enfrentar os novos tempos, sugiro algumas dicas, simples, mas que podem ajudar muito:

 

1. Não se cobrar demais e cobre menos ainda dos outros.

2. Não fique idealizando soluções para enfrentar o dia seguinte.

3. Não se coloque inferior aos outros, tipo eu sou coitadinho, imponha seu ponto de vista diante dos seus superiores.

4. Não leve problemas para casa, se fizer isso, já começou a antecipar um infarto.

5. Diante da pressão de seus superiores, devolva a pergunta ao chefe.

6. Quando alguém lhe pune ou ofende, agradeça, pois não é a picada de cobra que mata e sim correr atrás dela.

7. Quando não aguentar e ver que chegou ao seu limite, peça ajuda.

8. Pense primeiro em você e na sua vida, a empresa não é mais importante que sua saúde, não somos super-heróis.

9. Viva os momentos de folga. Não pense no trabalho, treine a habilidade de desligar o botão.

10. Abrace mais o ser humano, ame mais, chore mais e viva mais.

 

Enquanto estiver lendo todas as dicas acima, tome uma taça de vinho e se possível dê um grande grito de liberdade. Seu chefe não vai lhe demitir por isso. Por vezes, é melhor uma demissão do que viver uma vida em sofrimento e desprazer.

 

Até a próxima!


Jaime Folle

Colunista

Formado em empreendedorismo, é um dos mais renomados palestrantes do Sul do Brasil. Está na área desde 2005. É também escritor de vários livros.

jaimefolle@jaimefolle.com.br


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.