Endeusamento de humanos brasileiros

Por Jaime Folle

19/07/2018 21:00 - Atualizado em 19/07/2018 21:20



São lamentáveis a carência afetiva e a dependência do povo brasileiro por um deus salvador. As profecias apocalípticas descritas na bíblia ganham uma nova interpretação na imprensa televisiva no Brasil, pois aqueles antigos deuses, que por anos foram idolatrados, perderam as forças e estão se entregando pela corrupção e roubalheira.

 

Agora o povo aposta nas novas gerações de deuses. Estes nem sendo tão heroicos assim, ao contrário dos antigos, estão ignorando as massas famintas. Vejam o exemplo recente da Seleção Brasileira, montada em cima de um deus chamado Neymar... Ele não conseguiu produzir milagre e deu no que deu.

 

Foi assim quando uma nação inteira se apaixonou por Napoleão, Hitler, o ex-presidente Lula e tantos outros, descobrindo mais tarde que eles não eram os deuses que pareciam ser. É assim, agora, com o juiz Sérgio Moro. Um homem que se tornou uma espécie de Batman, acima da imoralidade, da corrupção, do erro. Milhões de brasileiros, insatisfeitos com crimes de corrupção, canalizaram sua ira na figura do juiz Moro, um juiz com boas intenções, provavelmente. Mas nem só de boas intenções vive o homem. Está se tornando mais um deus na vida do pobre povo brasileiro. Segundo Acsa Serafim que relata em seu blog, a divinização de Moro foi tamanha que muitos brasileiros estão tatuando o rosto do juiz.



O desespero é tanto dos brasileiros que estão tentando endeusar Bolsonaro em um radical que não pensa o que fala, um Ciro Gomes que reaparece somente a cada quatro anos, uma Marina Silva que não mostra nada, e outros que mal se apresentam devido ao envolvimento com a corrupção, além do presidiário Lula, que milhões acreditam ser o deus salvador.

 

Qualquer pessoa, que use de racionalidade lógica e dedutiva, ao analisar o momento atual, verá que ele é plenamente plausível porque somos um povo carente, além de necessitado de um deus que nos salve dos malefícios da política e do desencontro entre a arrecadação insuportável de impostos com sua aplicabilidade prática negativa. 

 

As eleições estão aí. Daí fica a pergunta: em quem votar, já que os deuses passados e atuais não estão correspondendo para o merecimento do nosso voto?

 

Pensemos muito nisso.

 

Até a próxima!


Jaime Folle

Colunista

Formado em empreendedorismo, é um dos mais renomados palestrantes do Sul do Brasil. Está na área desde 2005. É também escritor de vários livros.

jaimefolle@jaimefolle.com.br


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.