Caudilhos da política e da esperteza

Por Jaime Folle

29/05/2018 13:43



Não precisamos pesquisar muito ao longo de nossa história para verificar o que os velhos caudilhos da política brasileira fizeram no passado e ainda acham que podem fazer hoje. É só acompanhar a reação do governo brasileiro atual, que é composto destes caudilhos para ver o que fizeram nesta última semana de greve dos caminhoneiros. Ameaçaram com as forças armadas o uso da força como eram acostumados a fazer no século passado.

 

Porém os tempos são outros, mas estes caudilhos ainda não aprenderem que tem que deixar os cargos, já deu seu tempo, sua fase já passou.

 

Por conta destes caudilhos corruptos que acham que podem fazer o que querem, hoje os resultados que colhemos são ladrões no quintal de nossas casas e assaltantes à luz do dia explodindo cofres, pedintes nas nossas portas, favelas nas periferias, sem falar no descontrole do comando e falta de competência quando tem que dialogar com uma classe de trabalhadores tipo esta dos caminhoneiros.

 

Sem falar da cegueira com o povo que para salvar a conta das multinacionais do setor, conseguiu endividar mais de 70% da população aumentando impostos, dando condições enganosas de crédito fácil, entupindo as famílias brasileiras de quinquilharias e lixos eletrônicos, e as ruas de motos e carros financiados com crédito facilitado para quem não teria condições de comprar se quer uma bicicleta à vista. Este endividamento da população está chegando a tal ponto que podemos, em breve, estar à beira de uma catástrofe de endividamento e inadimplência das nossas famílias.

 

“Não temas os inteligentes e sim os caudilhos espertos, pois ao travar uma luta com os inteligentes, eles sempre te atacarão pela frente, isso significa que você vai ter a chance de também vencê-los, enquanto que os espertos caudilhos sempre te atacarão pelas costas, isso significa que você terá poucas chances de vencê-los”.



A sociedade está se transformando em longas filas de cidadãos à espera de alguma coisa que venha de graça, e isso está acontecendo porque grande parte da nossa história pública foi construída por mestres da esperteza que viram no mundo da política uma forma fácil de atuar, e os inteligentes nas suas dúvidas cederam espaços para a proliferação deles.

 

“O problema do mundo de hoje é que as pessoas inteligentes estão cheias de dúvidas e os caudilhos convencem que estão cheios de certezas”.

 

Pior que tem gente inteligente que inocentemente, defende esta esperteza ouvindo as redes de televisão que são compradas por eles para omitir verdades! Eles atingem as bases emocionais do eleitor, com promessas miraculosas e bem montadas, pois as pessoas de má índole têm grande poder de persuasão e conseguem provar até pelo em ovo para justificar e manter-se no espaço de quem é inteligente.

 

Nesta esperteza que fez a corrupção virar cultura nacional, o incentivo à inteligência e a iniciativa dos jovens, deu lugar à negociação de cargos públicos, bolsas de tudo que é tipo, a antiga forma de pão e circo prevalece esperta até hoje. 

 

Uma boa reflexão para esta semana.

 

Até a próxima!


Jaime Folle

Colunista

Formado em empreendedorismo, é um dos mais renomados palestrantes do Sul do Brasil. Está na área desde 2005. É também escritor de vários livros.

jaimefolle@jaimefolle.com.br


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.