Aos reclamões, um velório breve, de poucos presentes

Por Jaime Folle

19/07/2019 11:00 - Atualizado em 19/07/2019 11:28



Como tem gente que nasceu para reclamar! Todas as pessoas que reclamam padecem de uma tristeza interna, algo mal resolvido, e com isso a forma de se sobrepor aos outros é na reclamação. Se você der ouvidos para um reclamão, tome cuidado que com o tempo você começa a gostar e passa a ser um deles.

 

Reclamar libera o cortisol, o hormônio do estresse na corrente sanguínea. Reclamar é ser desiquilibrado, é alguém que ainda não conseguiu se situar no mundo. Alguém que quer ser importante e não consegue se impor para que isso aconteça, e com isso só vê uma saída para mostrar um pouco do que ele imagina ser, transmitindo seu veneno a quem tem que aguentar um reclamador de plantão.



Quando encontrar um reclamão, se afaste dele imediatamente. Não dê atenção e nem audiência, pois é isso que um reclamão precisa: público para seus resmungos. Enquanto tiver alguém que lhe dê ouvidos, não vai mudar e continua falando suas mazelas. Não precisa dar explicações a ele, simplesmente pede licença e se afaste.

 

A reclamação faz parte da vida de todos nós, porém, para cada reclamação deve indicar uma possível solução para o caso. Faço aqui uso das palavras de Rodrigo Sales, que salienta muito bem algumas dicas para quem gosta de reclamar e pretende mudar este terrível hábito.

 

“Se reclama que o dinheiro é pouco é porque tem dinheiro”.

“Se reclamar que o salário é baixo é porque tem emprego”.

“Se reclamar que está comendo sem carne é porque tem comida”.

“Se reclamar que a vida é dura é porque tem vida”.

“Se reclamar que a casa é fria é porque tem casa para morar”.

 

Outra dica importante para quem tem o hábito frequente de reclamar é, primeiro, perguntar para as pessoas próximas se ele é de fato um reclamão, depois procurar exercitar o autocontrole. Mas o ideal mesmo é o reclamão se dar conta por ele próprio, e começar um exercício de parar. Se tiver no trânsito engarrafado ou numa fila de banco enorme, por exemplo, reclamar não vai diminuir a fila, nem do trânsito e nem do banco. Ao contrário, poderá se desconcentrar no volante e bater no carro da frente ou arrumar um desentendimento com alguém na fila.

 

Para finalizar, se você sente que não está indo bem nos negócios, no trabalho, na escola, está de mal a pior. Queria te informar que vai piorar ainda mais com as reclamações! Procure inverter a parada, é difícil, nos primeiros dias, depois vai melhorando, procure trocar a reclamação por elogios, ou evite ao menos reclamar por umas três semanas e você mesmo vai perceber que tudo vai mudar ao seu redor.

 

Se nada disso der certo, então continue reclamando que vai ter um velório breve, de poucos presentes.

 

Até a próxima!


Jaime Folle

Colunista

Formado em empreendedorismo, é um dos mais renomados palestrantes do Sul do Brasil. Está na área desde 2005. É também escritor de vários livros.

jaimefolle@jaimefolle.com.br


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.