Animais auxiliam no tratamento de doenças

Por Marines de Castro

27/08/2016 14:08 - Atualizado em 31/01/2018 23:11



Em 1792, uma clínica psiquiátrica na Inglaterra (York Retreat) passou a utilizar animais para interagirem com seus pacientes. A finalidade era proporcionar entretenimento. Em 1944, ocorreram as primeiras sessões de terapia assistida utilizando animais num hospital das forças armadas de uma cidade próxima de Nova York (Pawling Hospital, em Dutches). A Pet Terapia auxiliou no tratamento de soldados que sofreram traumas psicológicos causados na segunda guerra mundial. Eles foram levados a uma zona rural para conviver com animais como cavalos, bois e galinhas. No Brasil, na década de 50 a terapia com animais passou a ser utilizada em um hospital psiquiátrico no Rio de Janeiro.

 

A Terapia Assistida por Animais (TAA) , consiste em tratamentos na área da saúde, onde um animal é co-terapeuta e auxilia o paciente a atingir os objetivos propostos para o tratamento.No Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, a entrada de bichos de estimação é liberada desde o ano de 2009, desde que autorizado pelo médico responsável de cada paciente.

 

Para tornar o ambiente hospitalar um pouco mais leve, principalmente quando o tratamento é prolongado e desgastante, alguns hospitais adotam a TAA, com a finalidade de despertar a alegria e a força de vontade, muitas vezes esquecidas diante de tantos medicamentos, exames e internações.

 

A partir do contato com o animal, procura-se  humanizar o tratamento, visando aliviar o sofrimento causado pelas doenças, principalmente o câncer.Se o paciente está feliz,  encara a doença de uma forma melhor, não falta às consultas e responde bem aos tratamentos.

 

Os benefícios para o paciente são inúmeros: vão desde o efeito calmante e antidepressivo e até servem como estímulo à integração social e elevação da autoestima, pois desvia o foco da tensão emocional, da dor e do estresse de internação ou tratamento. Alguns estudos também apontam redução da pressão sanguínea e cardíaca, além do fortalecimento do sistema imunológico e do bem-estar.

 

No caso das crianças, quando doentes, toda a família sofre de alguma maneira com o tratamento. Com o uso da TAA, o impacto positivo nas famílias é significativo, porque elas percebem que os filhos estão mais felizes, e rapidamente, essa alegria contagia todos, criando uma estrutura emocional mais positiva.

 

Qual o animal certo para a pet terapia? Nem todo animal nasceu para ser um terapeuta, este precisa ser tranquilo, ter uma personalidade que as pessoas possam abraçar, beijar e apertar, sem que reaja. Os animais mais comuns são os cães e os cavalos, que no geral tem um temperamento mais dócil.

 

Referências

KAWAKAMI, C. H.; NAKANO, C.K. Experimentreport: animal assistedtherapy (AAT) - anotherresource in thecommuncationbetweenpatientand nurse. An.8. Simp. Bras. Comun. Enferm. May. 2002 

 

Animais fazem a diferença no tratamento do câncer. [online]. Disponível: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/animais-fazem-a-diferenca-no-tratamento-de-cancer/5693/7/[Capturado em 25 de agost. de 2016]

 

Os animais que detectam câncer e avisam pacientes antes das convulsões. [online]. Disponível: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/02/160215_cachorros_cancer_tg/[Capturado em 25 de agost. de 2016]


Marines de Castro

Colunista

Medica veterinária, trabalha com cães e gatos e possui doutorado em patologia animal, a ciência que estuda as doenças.

veterinariaanimalcenter@yahoo.com.br

Mais colunistas


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.