A lenda da Gralha-azul e outras curiosidades

Por Sacha Arielle Branco

25/10/2019 14:46 - Atualizado em 26/10/2019 07:18



Registro da Gralha-azul em Ponte Serrada, nas proximidades do Parque Nacional das Araucárias (Foto: Wilamir Branco)

Olá pessoal, tudo certo?

 

Hoje eu vou falar um pouquinho da Gralha-azul. Você já ouviu falar desta ave? Conhece a lenda dela? Você sabe se ela vive na sua região? Estas são algumas perguntas que tentarei responder na sequência.

 

A Gralha-azul é uma ave passeriforme da família dos corvídeos, com aproximadamente 40 centímetros de comprimento. Como o nome já diz, ela é na sua maioria, azul, com alguns detalhes em preto.  Machos e fêmeas têm a mesma plumagem e aparência, embora as fêmeas geralmente sejam menores.

 

Cientificamente ela é conhecida como Cyanocorax caeruleus. Este nome um tanto quanto difícil tem origem do grego e do latim.  Em grego kuanos quer dizer azul intenso ou azul escuro e korax significa corvo. Já no latim caeruleus também significa azul escuro, azul intenso ou azul celeste.

Registro da Gralha-azul no município de Ponte Serrada (Foto: Wilamir Branco)

Quanto a lenda da Gralha-azul, num breve resumo, posso dizer a vocês que no folclore da região Sul do Brasil, especialmente no estado do Paraná, a Gralha-azul tem a função de formar e manter as florestas de araucária, também conhecida como pinheiro-do-paraná.

 

Na lenda, esta é uma missão divina. Esta também é a razão pela qual as espingardas explodem ou negam fogo quando são apontadas para estes animais, segundo a crença popular.

 

Apesar de a Gralha-azul ter se popularizado pela manutenção das florestas de araucária, ela é uma ave onívora, ou seja, a gralha consome diversos tipos de alimentos como frutos diversos, pinhão, ovos e filhotes de outras espécies, pequenos vertebrados e invertebrados, e restos de alimentos humanos, como pão.

Mapa onde há registros fotográficos da Gralha-azul (Foto: Reprodução/Wikipédia/Felipe Menegaz)

Embora se diga que o habitat da Gralha-azul seja as florestas de araucárias no Sul do Brasil, por conta da dieta diversificada, a Gralha-azul também tem registro em outras regiões do Brasil. Sua distribuição abrange desde estado do Rio de Janeiro até o estado gaúcho, sendo frequentemente avistada na Mata atlântica da Serra do Mar.

 

A Gralha-azul é um dos símbolos do estado do Paraná, segundo a Lei Estadual n. 7957, de 1984, que a consagra como ave símbolo do estado paranaense. Por fazer parte do folclore do Estado do Paraná, ela também foi escolhida como mascote do Paraná Clube, além de aparecer no escudo do clube. Outra curiosidade da Gralha, é que ela representa o maior prêmio teatral do Paraná: o Troféu Gralha-azul.

 

Mas e aí, conta pra mim, tem registros de Gralha-azul na sua cidade?

 

Fiquem bem e até a próxima!


Sacha Arielle Branco

Colunista

Nascida e criada no Oeste catarinense. Bióloga, apaixonada por plantas, e mestranda em Biologia de Fungos, Algas e Plantas pela UFSC. Falará sobre temas ambientais diversos de modo simples e descontraído, com a intenção de fazer o leitor pensar sobre temas importantes ligados ao meio ambiente.

sachabranco@unochapeco.edu.br


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.