A importância do cooperativismo na vida das pessoas

Por Jaime Folle

22/11/2018 23:12 - Atualizado em 22/11/2018 23:13


O cooperativismo tem se expandido por todo o mundo e ganhado cada vez mais adeptos. Pessoas que percebem na cooperação uma estratégia certeira para todos e juntos irem mais longe.

 

No mundo, são mais de 2,6 milhões de cooperativas, mais de um bilhão de membros e clientes, mais de 12 milhões de empregos. Hoje, 48% (quase metade) de tudo que é produzido no campo brasileiro passa, de alguma forma, por uma cooperativa agropecuária. Atualmente, o cooperativismo é responsável por quase 11% do Produto Interno Bruto (PIB) agropecuário brasileiro. Sabia que as cooperativas de saúde já estão presentes em 85% do território nacional e representam 32% do mercado privado de saúde. É pouco?

 

Os tipos de cooperativa variam conforme os interesses do grupo cooperado, dividindo-se em agrícolas, financeiras, consumo, habitacional, saúde, sociais, industriais e energia, sendo o destaque na nossa região a Creluz. Enfim, as cooperativas fazem parte no dia a dia da população brasileira e mundial.

 

Houve um grande crescimento do cooperativismo de crédito, que iniciou em Nova Petrópolis, no ano de 1902, por iniciativa do padre suíço Theodor Amstad, que em conjunto com outras 19 pessoas fundou a 1ª Cooperativa de Crédito da América Latina. Atualmente, a rede de atendimento das cooperativas no Brasil representa 18% das agências bancárias do país, que somadas ocupam a 6ª posição no ranking do volume de ativos, depósitos e empréstimos, estando, portanto, entre as maiores instituições financeiras de varejo do país. Os sistemas Sicredi e Sicoob possuem seus próprios bancos cooperativos.



O grande diferencial em ser sócio é que uma cooperativa não funciona como uma empresa capitalista. Para começar, em uma cooperativa, todos são donos, associados ao negócio. E a gestão é democrática, portanto, as decisões são voltadas entre todos, sendo que os cooperados têm igual poder de voto, independentemente de suas posses.

 

Além disso, as cooperativas destinam certa porcentagem de suas sobras líquidas no exercício a fundos sociais como o Fundo de Assistência Técnica Educacional e Social (Fates). Esses recursos são aplicados, por exemplo, na assistência educacional, já que um dos princípios do cooperativismo é exatamente promover a educação, a formação e a informação.

 

São grandes as vantagens para participar de uma cooperativa, em um mundo tão ingrato e capitalista. O sistema cooperativo veio para ficar e fazer a diferença na vida das pessoas.

 

Até a próxima!


Jaime Folle

Colunista

Formado em empreendedorismo, é um dos mais renomados palestrantes do Sul do Brasil. Está na área desde 2005. É também escritor de vários livros.

jaimefolle@jaimefolle.com.br


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.