A herança da família empacou?

Por Edipo Paggi

30/05/2018 10:05 - Atualizado em 30/05/2018 10:10



Depois de perder alguém muito importante, a última coisa que queremos é ter que pensar nos diversos processos exaustivos que compõe este delicado momento em uma família. Neste período é muito comum as pessoas começarem a ir atrás do inventário responsável por destinar a herança deixada, e é exatamente neste momento que muita coisa misteriosamente começa a dar errado, brigas, desavenças e as papeladas que nunca saem do escritório. Posso te garantir que existem respostas para este acontecimento e também há como evitar que ele aconteça.

 

A herança é um presente e não pode ser contada como bem original seu

 

A herança que foi por muito tempo premeditada por filhos e parceiros amorosos não é benéfica ao sistema familiar. É querer tomar algo que nem é seu de fato antes de dar o tempo para as coisas acontecerem. A herança contada como bem original seu, ou seja: “- Vou aguentar uma pouco mais neste trabalho que não gosto. Quando o papai se for, a herança poderá me ajudar a melhorar minha condição de vida e talvez até pare de trabalhar depois disso” não servirá nas mãos de ninguém que a tome posse.



A herança é um presente. Quando você ganha um, não esperas antecipadamente por ele. Bem, na maioria das vezes não, pois senão não seria um presente propriamente dito. Não se pode querer ter ou ser o que seu pais tem ou são. É algo que pertence intimamente a eles e que levaram muito tempo para conquistar. Isto serve também para dotes artísticos, profissão, etc. Você tem todas as possibilidades do universo atual para conquistar as coisas por si só e não precisar tomar algo que não é seu.

 

O inventário não irá para frente se a hierarquia não for respeitada

 

A hierarquia é uma lei que rege todos os tipos de sistemas, incluindo os familiares. A hierarquia é uma lei que desempenha o bom funcionamento das gerações filho após filho, ou seja, quem chegou antes ao sistema tem preferência em TUDO. Se o seu pai faleceu, deixou uma herança para a família e o filho mais novo tenta tomar as decisões por toda família sem ao menos consultar os integrantes da mesma, com certeza gerará emaranhamento sistêmico. Pela hierarquia, intuitivamente pense comigo, quem vem depois do pai? Sim, a mãe. A peça mais forte deste sistema depois do seu pai. Normalmente é possível que o inventário seja coordenado por um filho, porém a mãe tem que tomar consentimento de todas as decisões como a ponta da hierarquia e você poderá remeter-se a ela assim como um empregado chega ao diretor da empresa. De forma simples o inventário poderá ir acontecendo sem intercorrências. No caso de pai e mãe falecidos, o inventário deverá seguir a hierarquia e a inclusão do irmão mais velho neste processo, e assim sucessivamente.

 

A constelação familiar pode desenrolar este nó

 

Este processo é tão delicado que talvez o “dar-se conta” não seja suficiente para você passar por isso. A constelação familiar pode ajudar sua família a passar por este processo de uma forma muito mais organizada e congruente com as leis que regem a vida. Eu lhe pergunto, há algo maior do que a vida? Absolutamente não. Por algum motivo o universo nos permite organizar sistematicamente estes processos para que tudo ocorra da melhor forma, sem transtorno, sem sofrimento, sem desavenças e que todos possam sair ganhando.

 

A herança precisa ser gasta de forma a contribuir com a vida

 

Todo gasto desta herança deverá ser feito conscientemente. A herança é um presente, foi passado para frente assim como os seus pais lhe deram a vida, a tendência é você passar para frente e servir a vida das pessoas. Não, você não necessariamente precisa fazer caridade, mas utilizar este presente de forma a contribuir com a vida dos seres humanos, ou seja, projetos sociais, melhorar a qualidade de trabalho de seus servidores, contribuir na construção de uma escola talvez, ou ações individuais como comprar algo para si mesmo que você tem certeza de que seu pai, sua mãe ou esta pessoa especial gostaria que você tivesse investido em vida. Seja lá aonde eles estiverem, com certeza se alegrarão com isso.

 

Um abraço.


Edipo Paggi

Colunista

Profissional Facilitador em Constelações Sistêmicas Familiares e Negócios segundo os ensinamentos de Bert Hellinger, pelo Instituto Ashteer do Brasil – Nelson Theston. Nossa temática está relacionada ao autoconhecimento e seu desenvolvimento, o pensamento sistêmico, as relações interpessoais e a espiritualidade livre de dogmas e religiosidade.

atendimentoedipopaggi@gmail.com


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.