Chegadas e partidas: a juventude de cada idade


Por Jaime Folle

26/07/2022 22h49 - Atualizado em 26/07/2022 22h49



Todo o processo da vida de cada um é feito de chegadas e partidas, de perdas e ganhos, de mortes e nascimentos e cada fase tem sua bela história para ser contada.

 

Caso já tenha passado da idade do jovem, de 18 a 25 anos, não faz mal, você poderá aproveitar esta juventude. Aos 50, 60, 80 anos, o que menos importa para viver a juventude é a idade.

 

Assim, simbolicamente, para que nasça o bebê é necessário que morra o feto. O bebê dará lugar à criança, que morrerá para que nasça o adolescente. E no lugar do adolescente, nasce o adulto, e assim por diante.

 

A vida apresenta-se, pois, como uma porta que se abre a cada amanhecer e é esta sensação de vida que faz o ser humano renovar-se a cada dia e tornar-se mais jovem do que nunca.

 

Na verdade, começamos a juventude a partir do nascimento, só que muitos não aprenderam a de admitir isso, ficam pensando no fim e não nos meios de glória na juventude de cada idade.

 

Independente da razão ou da fé, é inútil querer integrar a morte na vida, conduzir-se de maneira racional em face de uma coisa que não é, pois as pessoas que pensam demasiadamente na morte não são capazes de viver a juventude da vida e passam os dias na confusão de seus sentimentos.

 

Em cada idade que vamos enfrentando, vamos também convivendo com a juventude desta idade.

 

Aos 14 anos, queremos usar o tênis da moda, paquerar e comer pizzas, jogar futebol.

 

Aos 18 anos, continuamos a usar tênis, comer pizzas e namorar e pensar no vestibular.

 

Aos 21 anos, queremos morar sozinhos, ser independe e comer churrasco.

 

Aos 25 anos, queremos um cargo, emprego e já pensamos em namoro sério, e continuamos gostando de pizzas, porém já começamos partir para o cardápio.

 

Aos 30 anos, queremos casar e ter filhos, começa o processo de economizar para pagar prestações.

 

Aos 35 anos, já pensamos em ter patrimônio, estudar a melhor forma de promover o futuro, às vezes comer pizzas.

 

Aos 40 anos, o primeiro check-up, ficamos nervoso com o colesterol e o aumento da próstata. Nas mulheres a preocupação é com as estrias e os seios.

 

Aos 50 anos, começam as brigas com a previdência.

 

Aos 60 anos, entramos para os grupos da terceira idade e tudo reinicia novamente.

 

Aos 70 anos, começamos a comer pizza de novo e brincar com os netos.

 

A partir dos 80 anos, pensamos igual ao jovem de 18 anos.

 

E é assim que acontece, cada idade tem sua juventude, basta você fazer por acontecer sem estresse, pois “se aquilo que te preocupa tem solução, por que te preocupas. Se aquilo que te preocupas não tem solução, por que te preocupas”.

 

Até a próxima.

Jaime Folle

Formado em empreendedorismo, escritor de vários livros e um dos mais renomados palestrantes do Sul do Brasil. Atuante na área desde 2005.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.