Estes adolescentes: ‘cada um tem seu estilo, jeito de ser, exclusivo desta faixa etária’

Por Jaime Folle

16/12/2021 08h11



“Eu sou diferente, não sou mais nem menos, mas também não sou igual aos outros. Sou apenas especial, sou mais eu, não sou igual à maioria retrograda, mas também não sou superior, sou apenas único em busca de minha afirmação para entrar na vida dos adultos.

 

Várias pessoas, pais, alunos, professores, pensam de modo errado quando aos adolescentes eles são diferentes; imaginam superioridade ou algo assim, só por que as veze revoltados em alguns momentos com o mundo; eles pensam que sabem tudo, porém, estão descobrindo o mundo e gostariam que fosse do seu jeito!

 

Seguindo o pensamento dos adolescentes, entendemos que assim deveriam pensar também os adultos, porém, os adolescentes vivem uma fase completamente diferenciada da que deixaram para trás quando crianças, e também muito diferente da idade que os espera. Isso é conflitante nesta trajetória da vida.

 

Cada adolescente tem sua personalidade, suas próprias opiniões e ideias. Cada um tem seu estilo, seu jeito de ser, e isso é exclusivo desta faixa etária, em que a meta principal é tirar os pais do seu estado de normalidade.

 

Têm alguns que ainda não sabem qual é o seu estilo e, por isso, se inspiram em ídolos, artistas, atletas ou algo parecido, e seguem o mesmo ideal, mas, pensando bem, isso também é um jeito diferente de ser. Que bom se os governantes escutassem os adolescentes, com certeza mudando dez por cento de acordo com o pensamento deles, as nossas mazelas sociais teriam outro rumo.

 

Poucos têm um estilo, e se ainda não o têm, imitam alguém ou criam um jeito diferente de ser, e é isso que faz de cada adolescente um ser ÚNICO. Como dizia um antigo slogan da rede globo. “Tente, invente, faça algo diferente”.

 

A questão fundamental está em entender as oposições. Sejam meninos ou meninas, todos têm grande dificuldade em se aceitar-se nas diferenças. Às vezes, é preciso perder em determinados momentos para que todos ganhem no final; e se tem uma coisa que adolescente não aceita é perder, mas, ao mesmo tempo, acabam esquecendo com a maior facilidade suas derrotas.

 

A disputa entre pais, professores e adolescentes é uma partida onde não poderá haver apenas um ganhador: ou todos ganham ou todos perdem.

 

Até a próxima!


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.