Dia Mundial do Livro: vou te contar um segredo


Por Kiane Berté

23/04/2021 13h51 - Atualizado em 23/04/2021 13h58



Hoje é o Dia Mundial do Livro.

 

Quantos livros você já leu até agora?

 

Muitos?

Dois, apenas?

Nada?

 

Uma pesquisa que foi divulgada pelo 4º Painel do Varejo de Livros no Brasil em 2020 mostrou que, entre 23 de março e 19 de abril do ano passado, os e-books e vendas online de livros físicos aumentaram.

 

Já a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil registrou que a plataforma Estante Virtual, que reúne sebos e livrarias de todo o país, teve aumento de 50% em abril, em comparação ao mesmo mês do ano passado.

 

Eu espero que isso seja muito verdade. A Estante Virtual é um site onde vende livros novos e de sebos, com preços absurdos de baratos (claro que não são novos, mas já ajuda), e tá sempre com uma infinidade de promoções e milhares de opções.

 

Só não lê quem não quer.

 

Já comprei livros por R$ 5, acredita? Não eram novos, mas pra mim já foi o suficiente.

 

Ah, outra coisa que gostaria de compartilhar hoje - que é quase um segredo - é um projeto que estou fazendo e que envolve livro. Faz 15 dias que passei a visitar a Clínica de Reabilitação do Hospital Santa Luzia, de Ponte Serrada, para buscar histórias que jamais foram contadas antes.

 

Estou ouvindo os pacientes de lá e escrevendo sobre a vida deles, de uma forma que possa transmitir os sentimentos que eles têm e que não conseguem demonstrar para os demais. Quem vê cara não vê coração, já dizia o ditado. São histórias tão tristes, comoventes, de arrepiar, que quem ler, vai querer mais.

 

Sim! Vamos transformar essas histórias em um livro. O nome, os assuntos, e demais informações sobre isso, eu vou divulgar no momento certo, tá?

 

Na adrenalina de sentar com eles, a sós, e ficar apenas ouvindo o que eles têm pra dizer, parece ser algo tranquilo. Mas não é!

 

No momento em que eu fui transcrever as gravações, para enfim relatar suas vidas em páginas de word, senti no peito a dor de cada um deles. Todos têm algo preocupante, algo assustador, e comovente para contar. O problema é que muitas pessoas não querem ouvir, ou fingem não ouvir. 

 

Minha ideia inicial era conhecê-los para depois decifrá-los, mas não é uma tarefa fácil. Eles são inseguros, tem seus medos e frustrações, e leva tempo até conseguirem se abrir por completo.

 

Advinha? Fiz amizades lá dentro. Tem um menino em particular, que todas as noites de quinta-feira (dia da semana que sempre faço as visitas) me surpreende com os talentos deles, as histórias de arrepiar, e as paixões que ele esconde.

 

Sempre vejo o cara com um livro na mão, e ele deixa bem claro que adora a literatura. Inclusive deixei meu livro Resistência para que, não só ele, mas todos os pacientes, pudessem ler. Ele foi o primeiro.

 

Ontem fui visitá-los novamente, e esse menino (eu digo menino, porque parece muito, muito jovem, mas tem 19 anos) me disse estar extasiado por conta da história que eu escrevi. E me disse muitas outras coisas sobre o livro, que quero guardar para mim (coisas boas).

 

Outro menino (esse de 18 anos), muito tímido, também disse gostar pra caramba de literatura, apesar de quase nunca ter lido um livro por completo. Ele me contou que nunca foi incentivando à leitura, disse que não tinha dinheiro para comprar livros, e isso me deixou muito triste.

 

Eu fico muito chateada quando ouço essas coisas, sabe? Porque não somos incentivados a ler? É como se os livros fossem algo abominável... Isso porque, o celular e o computador são mais importantes, né? É mais fácil, deixa todo mundo acomodado.

 

Gente, uma vez eu dei um livro de presente no Amigo Secreto, e a pessoa ficou visivelmente decepcionada. Talvez ela esperasse uma tapware ou algo do tipo (aliás, eu tenho certeza que ela não leu kkk).

 

Vamos dar uma chance para os livros? Vamos incentivar a leitura às nossas crianças?

 

É bem legal ler. Você só precisa encontrar o livro certo!

 

Um beijo.

Kiane Berté

Kiane Berté tem 26 anos e trabalha como jornalista e fotógrafa. Nas horas vagas escreve suas histórias de romance curiosas e sonha junto delas com um mundo mais encantado e cheio de amor. Sonhadora, ela vê através das páginas de um bom livro a oportunidade de viajar para onde quiser sem sair do lugar


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.