Pisos para área interna, qual usar?


Por Francine Gabrielli

30/09/2020 11h44



Piso de Cerâmica (Fotos: Reprodução)

A escolha do piso sempre é um fator simples, não é? Então, para muitos nem tanto, pois o mercado possui uma imensa variedade, tanto de gosto, tamanhos e valores. Além de acertar na escolha do material e manter os custos previstos em orçamentos, sempre é bom pensar na funcionalidade e na harmonia visual dos ambientes.  Colocar o piso inadequado na sua casa ou apartamento pode gerar muita dor de cabeça. Por isso é fundamental entender qual tipo de material é indicado para cada ambiente. Um item importante é levar em conta a classificação dos pisos, pois eles são classificados de acordo com a resistência. Essa informação vem nas embalagens, através de códigos, onde eles se referem às camadas de acabamento que as peças receberam no processo de fabricação. Quanto mais camadas, menos suas superfícies sentem abrasões no dia a dia. Ou seja, esses códigos servem para orientar o tipo de uso. Por exemplo, a classificação PEI 0, significa que ela tem baixíssima resistência e é indicada apenas para paredes, e assim segue a sequência de códigos para cada finalidade.

 

Quando for escolher os pisos, um jeito simples e eficaz é analisar os usos. De maneira geral os cômodos internos se dividem em secos contendo, salas, quartos, corredores, escritório, etc. e áreas molhadas como cozinha, lavanderia e banheiros. Por exemplo, nos quartos instalar um piso que ofereça conforto térmico, que seja fácil de limpar e de fácil manutenção. Analise também quais setores exigem pisos antiderrapantes, ou que possuem variáveis em questão de quantidade de área molhada.

 

Para economizar e também dar a impressão que os ambientes são maiores, usar um único tipo de piso para as áreas secas pode ajudar deixando o ambiente bem elegante. Por fim, dentre a grande variedade de opções que existem do mercado, opte por aquele que agrade e atenda a demanda da família, tanto na parte funcional quanto harmônica da casa.

 

Então pra quem está pensando em construir ou reformar, separei alguns tipos de pisos que o mercado oferece para mostrar a vocês.

Piso em porcelanato

1. CERÂMICA

A cerâmica possui tamanhos variáveis, assim como texturas. Sua escolha deve levar em conta seu PEI para avaliar resistência. Possui um baixo custo em relação aos outros pisos e sua superfície pode ser encontrada em lisa, acetinada, esmaltada, rústica ou em relevo. Possuem porosidade, por isso não apresentam tanta impermeabilidade na absorção de água o que os tornam sujeitos e lascar ou até mesmo quebrar em algumas condições.

 

2. PORCELANATO

Além de possuir uma ampla gama de acabamentos e dimensões também é um material com excelente resistência. Nele conseguimos encontrar variações retangulares ou quadrados, em tamanhos padrões ou em grandes formatos. É um material pouco poroso e por isso impede a absorção de água e da maior durabilidade perante alguns tipos de materiais.

 

Os porcelanatos podem ser:

 

▪ Polidos, onde recebem uma camada de polimento, tendo mais brilho e se tornando mais resistentes a agressões. Por outro lado, são lisos e por isso são indicados para ambientes internos secos;

▪ Esmaltados, são aqueles onde as peças recebem uma camada de esmalte e por isso são mais difíceis de manchar, independentemente de terem brilho ou não;

▪ Acetinados possuem o acabamento fosco, sendo mais indicados para áreas molhadas e ambientes de fluxo intenso, por serem mais resistentes a arranhões;

▪ Naturais são menos escorregadios e são indicados para áreas abertas.

Dentre esses modelos, o porcelanato permite uma variedade enorme de texturas, imitando pedras naturais, madeiras, cimento e até mármore, em diversas cores e acabamentos.

 

3. LAMINADO

Os laminados de madeira são chapas revestidas de fórmica (a base de madeira de reflorestamento) e podem ser instalados em cômodos secos. A colocação é simples e feita de maneira rápida, ainda mais pelo fato de que não exigem acabamentos como rejuntes. Para sua colocação não é preciso sequer remover os pisos antigos para colocá-las. É um material resistente a riscos e a abrasão e fácil de limpar (a limpeza deve ser feita apenas com panos úmidos) além da alta durabilidade. Maior cuidado é referente à água, pois por possuir uma textura bem lisa pode se tornar escorregadio. Assim como a madeira, ele também possui uma ampla variedade de tipos e cores. 

Piso laminado

4. GRANITO

É uma pedra natural bastante indicada para pisos devido a sua beleza, resistência e durabilidade. Possuem várias tonalidades e preços variáveis. Sua maior vantagem é a durabilidade, por isso é bastante utilizado em locais com bastante fluxo como shoppings, aeroportos, etc. É um material que pode ser polido muitas vezes, aumentando sua vida útil e sua beleza natural.

 

5. SILESTONE

Silestone é na verdade uma marca, e não o material em si. Foi criada pela Consentino, mas devido à sua utilização em larga escala, o nome Silestone acabou sendo usado. É um material formado por quartzo natural e outros compostos, como vidro e elementos metálicos. Sua composição proporciona altíssima resistência e durabilidade. Apesar de resistente é uma pedra porosa e pode manchar facilmente com utensílios químicos e infiltração.

 

As placas da pedra existem diferenças com algumas mais lisas, com mais veios, pois existem diferentes tipos assim como diferentes cores.  Em relação aos acabamentos, são três os tipos mais comuns – polido, suede e volcano, sendo o polido o mais tradicional. Para pisos, ele só deve ser usado em áreas de baixa e média circulação.

 

6. MÁRMORE

É uma rocha formada principalmente por minerais de calcita com coloração mais uniforme e veios definidos. Possui um custo elevado, é um material que remete elegância, porém é menos resistente que o granito, pois pode riscar facilmente, é apto a manchas e desgastes.

 

7. VINÍLICO

É produzido em resina de PVC, com estampas que imitam madeiras e com dimensões em réguas que podem variar dependendo o fabricante. Conta com ótimo desempenho acústico, não faz barulho ao andar (ideal para quem tem animais e crianças em casa ou para quem mora em apartamento), além de ter características térmicas que agregam temperaturas agradáveis aos ambientes. Possui alta durabilidade, é resistente, antialérgico, macio, antichamas e não retém poeira. Além de salas e quartos, há ainda pisos vinílicos para cozinhas, banheiros (exceto área do box) e lavabos. Uma das suas desvantagens é que o material risca se o atrito for grande (caso um móvel seja movido).

 

8. TACO

É feito com madeira e tábuas maciças. Normalmente o mercado oferece dimensões fixas, delas são feitas diferentes paginações: amarração, espinha de peixe, escama de peixe, diagonal e Chevron. Além de ser uma madeira marcante também se torna super versátil devido ampla forma de composição. Existem diferentes tipos de tacos, entre eles estão o taco tradicional, taco palito, taco legneto e taco versailles.

Piso em granito

9. CARPETE

O piso carpete é conhecido por tornar o ambiente mais quente e acolhedor. Possuí uma gama enorme de cores, texturas e materiais. Atualmente além de funcional também está se tornando um elemento decorativo. Os carpetes também são divididos em alguns tipos, que são: carpetes de lã, carpetes de nylon e carpetes de polyester. É considerado um revestimento seguro por reduzir impacto e também é antiderrapante, também ajuda a abafar ruídos e reduz os ecos de três formas: absorve o impacto da passagem de pessoas, absorve os sons da sala e ecos e também evita que o som se propague. Além de ser um material fácil de limpar, pois com um simples pano úmido e uma boa aspiração é possível eliminar sujidades e poeiras.

 

10. RESINA EPÓXI

A resina epóxi pode ser aplicada sobre outros revestimentos como pisos cerâmicos, porcelanatos ou diretamente sobre o contra piso, pois uma de suas características é que ela é auto nivelante. Porém o uso não é indicado sobre pisos de madeira e carpetes. Por ser um revestimento impermeável, a resina epóxi pode ser aplicada em todos os ambientes internos da casa e por ser um revestimento líquido não deve ser aplicada em paredes e tetos. Esse piso se destaca por sua resistência e durabilidade. Possui a opção de acabamento brilhante e fosco além da sua variedade de cores. Possui rápida aplicação e também não é um material que faz sujeira nem acumula entulho. É totalmente impermeável, consequentemente ele é mais resistente a manchas. Atualmente é um material bastante utilizado por ser monolítico, ou seja, um piso único, sem emendas, nem juntas ou marcas de rejunte, praticamente não exige manutenção e é muito fácil de limpar.

 

11. CIMENTO QUEIMADO

Com aparência de inacabado o piso de cimento queimado é altamente resistente, tem aparência neutra e é muito fácil de limpar. É fácil de aplicar, sendo a alternativa ideal para quem deseja realizar uma reforma rápida e de baixo custo, por ser composto por poucos itens, é um material resistente e apresenta poucas variações quando exposto  ao tempo, porém pode ocorrer fissuras caso seja mal aplicado. Não é indicado para ambientes como banheiro, pois ele é um material escorregadio. Além de bonito faz combinação fácil com móveis e revestimentos.

 

Espero que tenham gostado! Fiquem bem e até a próxima!







Francine Gabrielli

Natural de Ponte Serrada, Arquiteta e Urbanista formada pela Unochapecó, apaixonada por arquitetura de interiores. Falará sobre temas diversos que envolvem arquitetura, escrita de modo simples, versátil e didático tendo como propósito levar opções práticas para o leitor.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.