Plantas medicinais: artemísia


Por Sacha Arielle Branco

25/06/2020 14h12 - Atualizado em 25/06/2020 14h16


Artemisia vulgaris L. (Foto: Jardim Botânico de Portugal/Marco Paolucci)

Olá pessoal, tudo bem?

 

Semana passada uma leitora pediu para conversarmos sobre a Artemísia, mas o curioso é que artemísia pode se referir a uma variedade de plantas, a Losna por exemplo pertence ao gênero artemísia, temos outra planta deste mesmo grupo que é utilizada no combate a malária, incrível, não é? Hoje vamos falar sobre a Artemisia vulgaris L. que é a espécie que conhecemos popularmente com artemísia.

 

A artemísia também recebe outros nomes populares, erva-de-fogo, erva-de-são-joão, artemigem, anador e absinto selvagem são alguns deles. Essa planta, apesar de não ser nativa, é cultivada amplamente no Brasil, e ela se adapta facilmente a diferentes ambientes.  Para cultivar em sua casa basta conseguir um galho de artemísia e produzir estacas, ela não é muito exigente mas gosta de terreno adubado e boa quantidade de água.

 

Seu potencial fitoterápico é incrível! Em minha pesquisa o que mais me surpreendeu foi o uso de Artemísia em moxaterapia, confesso que eu nem conhecia esse tipo de terapia, mas vale a pesquisa, hein! Parece ser incrível, nesse tipo de terapia eles usam a combustão da Artemísia para tratar dores musculares, relaxamento físico e mental, estresse, ansiedade, constipação, insônia, entre outros.

No atendimento de moxaterapia é utilizado um bastão que tem como principal matéria prima a artemísia (Foto: Reprodução/Multi Terapias)

Além da moxaterapia, podemos utilizar o chá da planta e o óleo essencial, essa espécie possui os seguintes efeitos fitoterápicos:

 

• Antiparasitário;

 

• Digestivo;

 

• Estimulante para apetite;

 

• Alivia cólica intestinal;

 

• Antibacteriano;

 

• Antidepressivo;

 

• Auxilia em dores reumáticas;

 

• Antisséptico;

 

• Expectorante.

Artemisia vulgaris L. (Foto: Jardim Botânico de Portugal/ Isabel Garcia-Cabral)

Vocês sabem que cada parte da planta tem potencial diferente? A raiz acumula diferentes substâncias quando comparamos as folhas por exemplo, por isso que para cada doença utilizamos uma parte diferente da planta. Por exemplo, se eu quero utilizar a Artemisia vulgaris L. como antidepressiva eu faço infusão das folhas, por outro lado se preciso tratar reumatismo utilizo o caule, entendem?

 

Hoje vou passar uma receitinha de chá, mas vamos sempre lembrar que eu sou bióloga e não médica, então não posso indicar chá para cada doença, sempre procurem um médico.

 

Você vai precisar de duas colheres de folhas de Artemisia vulgaris e um litro de água.

 

Como preparar

 

Colocar duas colheres das folhas em um litro de água fervente e deixar repousar por dez minutos. Coar e beber de duas a três xícaras por dia.

 

ATENÇÃO!

 

A artemísia não deve ser usada por gestantes e mulheres que estão amamentando. Além disso, como sempre falo, a diferença entre o remédio e o veneno é a dose. Em altas doses ela pode ser tóxica, então sempre consulte um médico, para saber qual dose é ideal para você. Ela pode causar abortos e danos severos no Sistema Nervoso Central.

 

Como vocês bem sabem eu sempre faço uma longa pesquisa para produzir a coluna, e hoje utilizei dois documentos: uma análise do uso medicinal da artemísia feita pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e esse estudo do Jardim Botânico de Portugal.

 

Fiquem bem e até a próxima!

Sacha Arielle Branco

Nascida e criada no Oeste catarinense. Bióloga, apaixonada por plantas, e mestranda em Biologia de Fungos, Algas e Plantas pela UFSC. Falará sobre temas ambientais diversos de modo simples e descontraído, com a intenção de fazer o leitor pensar sobre temas importantes ligados ao meio ambiente.

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS