Sessão cineminha: 365 Dias


Por Kiane Berté

19/06/2020 18h11 - Atualizado em 19/06/2020 18h33


Comparação entre 365 Dias e 50 Tons de Cinza (Foto: Divulgação)

Oi pessoas, tudo bem?

 

Quem aí ficou curioso e clicou nesse link só por causa do boy da foto principal? *0*

 

Hashtag tô de olho!

 

Muitos clicaram por esse motivo mesmo, mas sei que a grande maioria vai ler porque esse filme causou um grande alvoroço nas redes sociais desde a sua estréia na Netflix.

 

Já adianto que, tanto o filme, quando o livro e essa resenha, não são indicados para menores... 

 

Como muitos já sabem, esse filme desabrochou do best-seller 365 DNI, escrito pela Blanka Lipinska, que é da Polônia. Ele não é tão parecido, mas lembra “50 Tons de Cinza” por se tratar de um filme erótico-romantico.

 

Apesar de fazer muito sucesso e estar entre os TOP 10 em muitos lugares do mundo, ele trouxe uma repercussão negativa por parte de muitos internautas.

Cena bem polêmica do filme (Foto: Divulgação)

Muitas pessoas assistiram ao filme para poder observar o comportamento do “macho” e fazer suas críticas depois. Dizem por aí que é um filme muito, mas muito abusivo e machista, e que o povo já fez até um abaixo-assinado para retirar o curta da Netflix...

 

Que coisa, né?

 

Na história temos um homem muito bonito, arrogante, podre de rico e pertencente a uma família de mafiosos, chamado Massimo; o segundo Cristian Grey da vida. Ele basicamente é vítima de um atentado, junto com o pai, e fica em coma. Após o crime, ele passa a se lembrar da última pessoa que viu antes de tudo acontecer: a Laura.

 

Massimo tem sonhos com essa mulher durante o coma e isso faz com que ele se apaixone por ela e fique obcecado. Massimo fica tão , mas tão obcecado, que pendura quadros com a imagem dela pela casa, além, é claro, de procurá-la por todos os cantos. 

 

Super perturbador. Eu teria medo! O que esse homem tem de bonito, tem de doido.

 

Quando ele encontra a dita cuja, Massimo manda sequestrar a Laura e diz que a manterá em cativeiro por 365 dias, isso tudo, para que ela se apaixone por ele durante esse tempo.

 

Aí vocês comentamnossa, mas por um homem desses, eu me apaixonaria no primeiro dia.

 

Gente, calma.

Massimo e Laura (Foto: Divulgação)

Eu senti repulsa quando assisti a esse filme pela primeira vez (sim, assisti três vezes, mas para poder entendê-lo). Mesmo assistindo tantas vezes, eu não conseguia ligar os pontos, mas isso tudo tinha um por que: ele foi adaptado ao cinema.

 

Já disse ali em cima que o filme partiu de um livro físico, e queria dizer que essa história é contada em uma trilogia. Claro que a história do filme é resumida ao máximo e é por esse motivo que preferimos ler ao invés de assistir, né, meus queridos (tô lendo o primeiro).

 

Então, no livro a autora descreve muito as cenas, é tudo muito explicadinho e a gente passa a entender melhor o porque daquilo tudo.

 

Então, voltando à história...

 

Nesse filme, o que tem de cenas quentes e perturbadoras, que a gente não sabe se acontece de verdade ou se foi muito bem esquematizado nas gravações, eu já adianto: numa entrevista, os diretores explicaram que fizeram todo o possível para que as cenas de sexo ficassem muito reais (e olha que dá pra perceber sim, é algo quase explícito).

 

Porém, voltando novamente na parte que chocou muita gente: o cara é um pouco mais rude que o Cristian Grey, apesar do Cristian ser todo montado no chicote e quarto vermelho, o Massimo mostra a força dele em vários episódios nesse filme, o que nos leva ao susto e desaprovação, porque ele usa a força dele também em Laura.

 

Miga, não choca ainda. Tem mais história nos próximos livros. Procurem e leiam, vocês vão ficar horrorizadas, segundo o que disse a minha amiga e leitora Katherine.

 

E o final inesperado, que todo mundo chorou? Bem, eu não chorei, mas fiquei bem triste... Sem spoiler, claro. Porém, a gente não deve ficar triste não. Se há continuação, Laura está bem, está a salvo.

 

Notícia boa, pelo menos.



Se eu gostei?

Não sei dizer isso.

 

Porque estou indicando, então?

Não estou indicando, só estou fazendo uma resenha/crítica, porque ele ficou beeeem famosinho.

 

Podemos assistir?

Olha, se você tiver mais que 14 anos, pode sim, mas não se empolgue muito não, você pode se decepcionar com algumas cenas. Ah, e não assista com a família, tá? Pode ser um pouco constrangedor. 

 

Um beijo e até a próxima!

Kiane Berté

Kiane Berté tem 25 anos e trabalha como jornalista e fotógrafa. Nas horas vagas escreve suas histórias de romance curiosas e sonha junto delas com um mundo mais encantado e cheio de amor. Sonhadora, ela vê através das páginas de um bom livro a oportunidade de viajar para onde quiser sem sair do lugar

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS