Aves no Oeste catarinense: baitaca


Por Sacha Arielle Branco

16/04/2020 14h29 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Registro de baitacas no Parque Nacional das Araucárias, nos municípios de Ponte Serrada e Passos Maia (Fotos: Wilamir Branco)

Olá, tudo bem com vocês?

 

Com todas as incertezas que acompanham a pandemia do novo coronavírus, estive um pouco sumida e demorei a escrever minha coluna. Consegui voltar a escrever e espero que todos estejam bem e sabendo lidar com a atual situação que enfrentemos.

 

Mas, não vou escrever sobre a Covid-19. Hoje eu vou iniciar uma série de colunas sobre aves que podemos encontrar no Oeste catarinense. Um tempo atrás eu escrevi sobre a gralha-azul, mas agora vou tentar falar com mais frequência sobre as aves que podem ser vistas em nossa região.

 

E, já que estamos em abril, mês em que é liberada a colheita, o transporte, a comercialização e o consumo do pinhão, a partir do dia 1º, conforme prevê a lei estadual catarinense Nº 15.457 de 17 de janeiro de 2011, vou falar sobre uma ave que gosta muito deste alimento. Me acompanha!

 

A semente da araucária é bastante apreciada no Oeste e na Serra catarinense e pode ser consumida sapecada, cozida e em diversos pratos típicos da região. Mas não estou aqui para dar receitas, essa eu passo para a colunista Samara dos Santos, que é gastrônoma. Hoje eu vou falar sobre outro ser que se alimenta de pinhão: a Pionus maximiliani, popularmente conhecida como baitaca aqui na região Oeste.

 

A baitaca, maritaca, maitaca, maitaca-bronzeada, maitaca-de-maximiliano, maitaca-suia, suia, humaitá ou ainda, curica-maracanã, e, de acordo com o site Wikiaves, é uma ave psittaciforme da família dos psittacideos. Ainda segundo o site especializado, não está classificada em nenhuma categoria de ameaça, embora o desmatamento e o comércio ilegal afetem suas populações.



Agora que já sabemos a maioria dos nomes de como esta ave é conhecida, vamos falar um pouco sobre a sua alimentação.

 

De acordo com o site Perito Animal, as baitacas se alimentam de frutas doces e maduras, além de sementes e castanhas. Mas outras frutas menos doces e sementes também estão dentro do que as baitacas comem como coco, figo e pinhão. A comida para a baitaca, de acordo com o site, varia de acordo com a região em que ela vive, já que as árvores que dão seus alimentos preferidos atraem estas aves, mudam de acordo com a região.

 

De acordo com um estudo sobre a semente da araucária, realizado na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), as baitacas, se alimentam quase que exclusivamente dos pinhões das florestas durante o outono nas regiões que possuem o alimento em abundância.

 

Por isso, Se você mora em um local com algumas araucárias e notou a presença desta ave interessante, saiba que possivelmente ela está em busca de pinhões!

 

Mas, agora me tire uma dúvida, você já viu uma baitaca? Tem registros dela na sua cidade? Em qual região do Brasil? Conta para mim nos comentários!

 

Fiquem bem e até a próxima.



Sacha Arielle Branco

Nascida e criada no Oeste catarinense. Bióloga, apaixonada por plantas, e mestranda em Biologia de Fungos, Algas e Plantas pela UFSC. Falará sobre temas ambientais diversos de modo simples e descontraído, com a intenção de fazer o leitor pensar sobre temas importantes ligados ao meio ambiente.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.