Não é só cozinhar


Por Samara dos Santos

07/04/2020 17h17 - Atualizado em 17/04/2020 14h39


(Foto: Ísis Fotografia)

Olá meu bem, tudo bem? 

 

Espero que você esteja bem, porque hoje meu dia foi massacrante. Esses dias de quarentena tem sido uma montanha russa interminável.

 

Tem dias que acordo, faço ioga, tomo café, aplico a insulina na minha avó e parece que vai ficar tudo bem.

 

Tem dias que acordo com raiva do mundo, querendo que tudo se exploda, porque se fosse uma chuva de meteoros e não um vírus seria mais fácil. 

 

Tem dias que acordo triste e me sentindo sozinha. Como se eu estivesse carregando um peso maior do que consigo carregar. 

Sorvete de baunilha, brownie de chocolate com calda de caramelo salgado (Foto: Arquivo pessoal)

São incertezas de todos os lados, medo pra dar e vender, quando você precisa sair de casa ainda tem gente que não está levando a sério as recomendações da OMS e o que fica é a sensação de enxugar gelo. 

 

Toda saída de casa é um sofrimento pra mim. Uma paranoia que se instala junto com os pensamentos a milhão e parece que a sua cabeça nunca pára. 

 

Só tem um momento do meu dia que minha cabeça esvazia e consegue focar no momento presente. Na cozinha. 

Bife com molho ferrugem e purê de batata (Foto: Arquivo pessoal)

Uma comida que eu poderia fazer em 20 minutos eu faço em 1h só pelo prazer de estar ali. Planejando o que vou fazer, colocando uma música que me anima, separando o que vou precisar, pensando em alternativas para o que eu tenho na geladeira, picando os ingredientes tão sem pressa que chego a dançar e preparando aquela comida com todo amor que tenho pra dar e não posso por estarmos isolados. 

 

Os dias aqui tem sido muito difíceis, mas quando eu termino de cozinhar, monto um prato bonitinho e sento para comer, mesmo que sozinha, me sinto abraçada pelo sentimento de que tudo isso vai passar. Assim como os dias felizes passam, os dias tristes também vão passar. 

 

Como vocês estão vivendo esse momento? Quais são os sentimentos que vocês tem tido diariamente? O que tem te feito sorrir nesse período tão complicado?

Samara dos Santos

27 anos e carioca. Gastrônoma de formação, mas confeiteira por amor. Trabalhou em vários eventos de confeitaria pelo país e com chefs internacionalmente reconhecidos. Está aqui para falar de gastronomia e alimentação de forma simples e descomplicada.

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS