Verão sem mosquito


Por Lucas Tarlé

26/01/2020 20h25 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Olá, como você está hoje?

 

Verão, tempo de férias, de passear, de curtir um sol, um calor e de mosquitos. "Mosquitos?!" Sim! Chegam as chuvas de verão e os mosquitos começam a voar bastante por aí, o clima está perfeito para eles. Com certeza nesses meses você já ouviu falar de Aedes aegypti, vou falar hoje um pouco dele e de algumas viroses transmitidas por ele que nós as chamamos na medicina de arboviroses.

 

Aqui no Brasil ele transmite principalmente Dengue, Chikungunya, Zika e febre amarela. Hoje vou me atentar às três primeiras.

 

De onde veio o danado do mosquito e essas doenças?

 

Danado não, danada! É a fêmea que transmite, cogita-se que ela veio importada da África (o aegypti vem de Egito) lá na época do tráfico negreiro em barris de água, habitat favorito para seus ovos/larvas. Em 1957, a danadinha foi até considerada erradicada, mas entre as décadas de 1970 e 1980 começou a dar as caras de novo. Os pesquisadores atribuem a volta dela a não erradicação nos países em volta e à urbanização acelerada.

(Foto: Pixabay)

A dengue

 

O vírus da Dengue é o mais antigo desses três, a doença é conhecida como "febre quebra ossos", esse apelido nada simpático vem das terríveis dores ósseas e musculares. Além disso, a doença geralmente é acompanhada de febre alta, moleza, dor de cabeça e dor atrás dos olhos. 

 

Em casos mais graves pode provocar sangramentos gengivais, em outras partes no corpo e até matar.

 

Os sintomas geralmente demoram de cinco a sete dias para irem completamente embora, as complicações mais graves podem aparecer depois do terceiro dia. 

 

A maioria das pessoas não tem a forma mais grave, a qual pode gerar sangramentos (hemorrágica), mas é bom ficar atento. Para isso vou listar os sinais e sintomas de alerta, ou seja, quando você deve ir correndo procurar a emergência mais próxima:

 

▪ Dor abdominal intensa e continua

 

▪ Vômitos persistentes

 

▪ Sensação de desmaio

 

▪ Sangramento importante

 

▪ Sonolência

 

▪ Sangramento de gengiva (mucosas)

 

"Ah, Lucas, e se a forma não for grave, como trata?!", Simples, como é na maioria das viroses, uma boa hidratação (beber muita água é o principal), repouso, alimentação e medicamentos para os sintomas de dor, febre e enjoo, mas atenção! Evite usar anti-inflamatórios e em hipótese nenhuma usar AAS (ácido acetilsalicílico), pode piorar os sangramentos.

 

A Chikungunya

 

A primeira epidemia foi lá na Tanzânia (África), onde a doença recebeu esse nome que no dialeto deles significa algo próximo de "aqueles que se dobram", isso porque as dores articulares dessa doença são intensas a ponto das pessoas se curvarem de dor.

 

Há também febre, cefaleia, enjoo, moleza, mas o que chama mais a atenção são as dores articulares. O vírus é eliminado entre cinco a sete dias pelo próprio corpo, mas as dores nas articulações podem acompanhar o paciente por anos. 

 

O tratamento no geral consiste no mesmo da dengue, aliás, tem momentos que é muito difícil diferenciar as arboviroses entre si. A dor articular persistente pode ser controlada com alguns medicamentos e mudanças no estilo de vida. Sempre é interessante consultar os profissionais de saúde para saber o melhor para você.

 

A Zika

 

É um vírus que foi descoberto em uma pesquisa sobre a febre amarela. Uma grande empresa farmacêutica estava na floresta de Zika na Uganda fazendo experimentos onde macacos eram expostos a mosquitos para pegar febre amarela e assim estudar medicamentos contra essa doença, advinha o que perceberam durante o estudo?! Isso mesmo, um novo vírus e o chamaram de Zika, acho que faltou um pouco de criatividade nessa. 

 

Essa doença tem os mesmos sintomas que os anteriores, porém bem mais amenos, ela é mais conhecida pelo rash, pintinhas vermelhas que aparecem pelo corpo todo. Os outros dois vírus também podem dar esse sintoma, porém é mais frequente na Zika.

 

"E as grávidas?"

 

Os três vírus são péssimos para as gestantes. A dengue pode favorecer sangramentos durante sua infecção, a chikungunya pode infectar o feto ocasionando uma doença chamada chikingunya neonatal, não vou entrar em detalhes, é uma doença bem variada e as imagens são um pouco chocantes. O mais divulgado é a relação entre o vírus da Zika e a microcefalia, ainda uma área que necessita mais estudos e acompanhamento. 

 

Esses eventos não são comuns, não é toda gestante infectada que terá problemas, mas as complicações são tão preocupantes que merecem uma atenção especial, então se você é gestante e surgiram sintomas dessas doenças, não demore, procure sua maternidade ou profissional de referência, ele poderá te ajudar e te acompanhar.

 

Como evitar tanta coisa ruim assim?!

 

Exatamente isso, o melhor é sempre prevenir. Como a doença é passageira e não tem cura, o próprio corpo que se encarrega de eliminar os vírus, bom mesmo é acabar com o mosquito que transmite ela. 

 

Para se reproduzir, é preciso de água, ela faz com que os ovos eclodam dando origem a larvas que se transformarão em mosquitos. Então nada de água parada. 

 

Procure na sua residência por tudo que possa acumular água, entulho no jardim, lixo na rua, reservatório de água aberto, vaso de planta sem areia, qualquer coisa assim.

 

Ah! Se tiver por acaso alguma casa próxima abandonada, notifique as autoridades responsáveis, pode ser um foco importante para combater o mosquito.

 

A recomendação de hoje é um livro chamado "Pandemias: a humanidade em risco", de Stefan Cunha Ujvari, que fala sobre várias epidemias e pandemias, entre elas a Dengue, Zika e Chikingunya.

 

Ficou com alguma dúvida? Achou entediante ou legal? Quer recomendar algum tema? Comenta aí.

 

Obrigado pela atenção, até a próxima!

Campanha do Governo do Estado de São Paulo (Foto: Divulgação)

Lucas Tarlé

Carioca de nascimento, gaúcho do Paraguai e baiano de coração, tem 26 anos, médico formado pela UNIRIO, adora tagarelar sobre ciência e saúde.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.