Controle o seu dinheiro e não seja controlado por ele


Por Josieli Pereira

23/12/2019 10h01 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



De fato, precisamos de dinheiro. Gostamos das conquistas que o dinheiro nos traz. Trabalhamos em troca do dinheiro. Temos sonhos, que se tornarão realidade quando juntarmos dinheiro. E você ainda insiste em deixar que as coisas andem na base da sorte, sem fazer nada para mudar a situação que está desconfortando-o.

 

Para quem já tem como costume comportamental ter controle das suas finanças, é fácil. Agora, para quem já tem passado muito tempo sem controle, retomar as rédeas do seu dinheiro se torna uma tarefa difícil, e por vezes até sentem medo de encarar a verdadeira realidade.

 

Infelizmente, quando criança, nós não temos acesso à educação financeira nas escolas e nem mesmo em casa e o resultado disso é uma sociedade endividada, que não sabe lidar direito com seu próprio dinheiro.



De acordo com uma pesquisa no mês de abril de 2019, 17% dos consumidores brasileiros tiveram crédito negado ao tentarem fazer uma compra a prazo. Dados do Indicador de Uso do Crédito, apurado pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), mostram que a principal razão para a negativa é o fato de estarem com o nome inserido em cadastros de inadimplentes ou por falta de comprovação de renda. O índice de inadimplência é alto e vem crescendo.

 

Mas como explicar a falta de preparo das pessoas em lidar com o dinheiro?

 

A Educação financeira passa atualmente por um processo de melhor entendimento. Já se falaram muito em finanças pessoais, mas nunca focando em comportamento, e sim em matemática, cálculos, planilhas, números. Onde na verdade, educação financeira é mais do que isso, são hábitos, costumes que levam uma pessoa a uma mudança do comportamento com relação ao dinheiro que entra e ao dinheiro que sai.  Hoje já encontramos vários artigos sobre Psicologia econômica, ciência que estuda a relação das pessoas com o dinheiro.

 

Criar uma mentalidade adequada e saudável em relação ao dinheiro. Educação financeira é muito mais que ensinar as pessoas a preencher planilhas, anotar gastos, ou, além disso, ter um mero conhecimento matemático. É fazer as pessoas perceberem que o abismo que as separa de uma relação mais saudável com o dinheiro são os próprios comportamentos e as pequenas decisões do dia a dia.

 

Estamos encerando mais um ano. Como você empregou o seu dinheiro em 2019? Como você avalia sua atual situação financeira e qual as expectativas para 2020? Em poucos dias iniciaremos um novo ano, e com ele o coração se enche de esperança para que seja próspero. Esperamos por você para vivermos um 2020 como quisermos e planejarmos.

 

Tenha um feliz Natal e um bem-afortunado ano novo!

 

Espero por vocês!

Josieli Pereira

Graduada em Matemática e estudante de Gestão Financeira. Tenho 25 anos de idade e aproximadamente há cinco trabalho com sistema financeiro. Falar e estudar sobre educação financeira sempre foi como um hobby. Acredito que este tema, mesmo longe da maioria das escolas, continua transformando vidas. Venho de família humilde, que desde muito cedo ensinou que com trabalho e planejamento podemos conquistar grandes sonhos.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.