Papa Francisco vai propor conceito de Ecologia Integral em cúpula sobre a Amazônia

Para o Papa, a ecologia não deve estar associada somente a temas óbvios como a derrubada de florestas

Por Oeste Mais

05/10/2019 08:50 - Atualizado em 05/10/2019 08:52



Pontífice acredita que a degradação social também deve ser levada em conta (Foto: AFP)

Segundo o Papa Francisco, a ecologia não deve estar associada apenas a temas óbvios como a derrubada de florestas, a extinção de animais e a poluição do ar. Segundo o pontífice, a ecologia deve se preocupar também com as múltiplas consequências do modelo econômico que levou o mundo ao estado atual de degradação social e ambiental.

 

Para o Papa, a ecologia também diz respeito às tradições perdidas por comunidades indígenas impactadas por grandes obras, aos humanos que foram substituídos por robôs em indústrias e às pessoas que vivem com crises de ansiedade e são incapazes de admirar a beleza ao redor.

 

Essa noção de ecologia, que Francisco chama de ecologia integral, será um dos eixos do Sínodo da Amazônia, no qual ele receberá bispos de todos os nove países amazônicos a partir deste domingo, dia 6, no Vaticano. Cinquenta e sete bispos brasileiros participarão do encontro, que se encerrará em 27 de outubro.

 

Sínodos são reuniões entre o papa e seus bispos de determinada região ou tema para definir estratégias da igreja nessas áreas. São encontros mais restritos do que os concílios, que agregam bispos do mundo todo.

Cúpula inicia neste domingo, dia 6 (Foto: Reuters)

A cúpula é vista com preocupação pelo governo do presidente Jair Bolsonaro, que já vem enfrentando críticas no Brasil e no exterior por suas posturas em relação à Amazônia e à questão ambiental.

 

O coro contrário às políticas do governo inclui vozes importantes da Igreja Católica no Brasil, como o ex-arcebispo de São Paulo e atual presidente da Rede Eclesial Pan-Amazônica, Dom Cláudio Hummes.

 

Hummes, que será o principal responsável pela redação dos documentos produzidos no sínodo, defendeu recentemente o prosseguimento das demarcações de terras indígenas, iniciativa à qual Bolsonaro se opõe e que deve ser abordada no encontro no Vaticano.

Com informações da BBC News


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.