Incêndio criminoso provoca dezenas de mortes em estúdio de animação no Japão

Homem que provocou o incêndio nos estúdios da Kyoto Animation foi detido

18/07/2019 09:35 - Atualizado em 18/07/2019 09:39



Fogo tomou conta de parte do prédio da Kyoto Animation (Foto: Kyodo/via Reuters)

Um incêndio criminoso em um estúdio de animação na cidade de Kyoto, no oeste do Japão, deixou 27 mortos nesta quinta-feira, dia 18, de acordo com os bombeiros. Várias pessoas foram encontradas sem sinais vitais, mas ainda não está claro se elas estão incluídas nesse balanço de mortos.

 

Cerca de 70 pessoas estavam nos estúdios da Kyoto Animation por volta das 10h30 no horário local (22h30 em Brasília) quando um homem não identificado entrou no imóvel de três andares e jogou um líquido inflamável. Durante a ação, ele gritou: "Morram".

 

Testemunhas disseram que as chamas se espalharam rapidamente e ainda não se sabe quantas pessoas conseguiram deixar o imóvel ilesas.

 

O autor do ataque, de 41 anos anos, ficou ferido e foi levado sob custódia para um hospital. Ainda não se sabe o que teria motivado a ação. A polícia espera para interrogá-lo.

Bombeiros trabalham para combater incêndio na Kyoto Animation, no oeste do Japão (Foto: Kyodo News via AP)

Bombeiros de Kyoto disseram que 37 pessoas foram levadas para vários hospitais, das quais dez em estado grave. Cerca de 40 caminhões de bombeiros foram mobilizados para conter as chamas.

 

A Kyoto Animation, mais conhecida como KyoAni, tem cerca de 160 funcionários. Ela foi criada em 1981 e produz programas de cinema e anime para a televisão. Entre suas produções mais conhecidas estão "K-ON!", "A Melancolia de Haruhi Suzumiya" e "Lucky Star".

 

Embora a companhia não seja muito conhecida internacionalmente, ela foi responsável por uma animação secundária utilizada em "Pokemon" e "Winnie the Pooh".

Do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.