Ataques a mesquitas deixam pelo menos 49 mortos na Nova Zelândia

Quatro suspeitos foram detidos após o atentado, que ainda deixou outras 48 pessoas feridas, 12 delas estão em estado grave

Por Oeste Mais

15/03/2019 08:20 - Atualizado em 15/03/2019 08:20


Família muçulmana após tiroteio na mesquita Al Noor, em Christchurch (Foto: SNPA/Martin Hunter/Reuters)

Pelo menos 49 pessoas foram mortas e mais de 20 ficaram feridas em tiroteios realizados nesta sexta-feira, dia 15, em duas mesquitas na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia. A primeira-ministra do país, Jacinda Ardem, classificou os ataques como atos terroristas.

 

Quatro pessoas — sendo três homens e uma mulher — foram detidas pela polícia neozelandesa. Por enquanto, uma delas, de quase 30 anos, foi acusada de homicídio.

 

De acordo com o jornal Herald, de Christchurch, o suspeito australiano teria escrito um manifesto dizendo que estava pronto para realizar o ataque. No texto, ele se declarava como anti-imigrante e adepto da ideologia de extrema direita.

Policial escolta fiéis que deixaram uma mesquita no centro de Christchurch (Foto: Mark Baker/AP Photo)

Um dos atiradores fez uma transmissão ao vivo nas redes sociais, com uma câmera acoplada à cabeça, em que aparece disparando indiscriminadamente contra fiéis no interior de uma das mesquitas.

 

O Facebook anunciou que removeu as cenas postadas em sua plataforma e também do Instagram — foram apagadas ainda manifestações de apoio aos ataques que tinham sido publicadas.

 

A polícia fez um apelo para as pessoas que tiveram acesso a não compartilharem as cenas "extremamente perturbadoras".

 

O se sabe até agora

 

Os ataques teriam começado às 13h30 (hora local) desta sexta-feira. Segundo a polícia, "múltiplas fatalidades" foram registradas em dois locais. A sequência de eventos ainda não está clara — a maior parte do que se sabe até agora vem de relatos de testemunhas para a imprensa local. Também não está claro quantos atiradores participaram do atentado.

Com informações da BBC


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.