Três dias após queda de avião na China, equipes encontram fragmentos de corpos espalhados pelo local

Equipes de resgate estão usando drones e câmeras térmicas para fazer buscas

Por Redação Oeste Mais

25/03/2022 09h05 - Atualizado em 25/03/2022 09h12



Equipes de resgate da China passaram a usar drones e câmeras térmicas para fazer buscas dos destroços e das vítimas do voo MU5735, que caiu em uma região montanhosa na última segunda-feira, dia 21.

 

O Boeing 737-800 viajava entre Kunming e Cantão, na China, com 132 pessoas a bordo. Até o momento, três dias depois do acidente aéreo, apenas fragmentos de corpos humanos foram encontrados no local.

 

Ainda não se sabe ao certo o que causou a queda do avião, mas as esperanças são mínimas para encontrar sobreviventes, já que o Boeing caiu praticamente na vertical e explodiu após o impacto com a montanha.

 

"A maior parte dos destroços do avião está concentrada em um raio de quase 30 metros ao redor do ponto de impacto principal e a uma profundidade de cerca de 20 metros", afirmou Zhu Tao, diretor de segurança aérea da Administração de Aviação Civil da China (CAAC).

Avião com 132 passageiros caiu na China na última segunda-feira (Fotos: Divulgação)

Uma caixa-preta, a que registra as conversas na cabine do piloto, foi recuperada na quarta-feira e enviada a Pequim para análise.

 

As equipes de emergência trabalham no local para encontrar a segunda caixa-preta, que contém dados do voo como velocidade, altitude e rumo da viagem, o que pode ajudar a determinar a causa da tragédia: o avião caiu milhares de metros em poucos minutos.

 

A CAAC ordenou uma inspeção geral do setor aéreo durante duas semanas.

 

Também não há suspeitas sobre o comportamento do capitão e seus dois copilotos, que acumulavam 6.709, 31.769 e 556 horas de voo, respectivamente, afirmou Sun Shiying, diretor da China Eastern.

 

"Com base nos primeiros elementos que temos, os registros de serviço dos pilotos eram, em geral, muito bons e as situações familiares eram harmoniosas", acrescentou.



Com informações do g1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.