Passa de 70 o número de mortos em ataque terrorista no Afeganistão; há soldados dos EUA

Pentágono fala em 'ataque complexo' e confirma que há 12 militares americanos entre os mortos

Por Oeste Mais

26/08/2021 16h42 - Atualizado em 26/08/2021 16h49



Ao menos 60 civis morreram após o ataque terrorista no Afeganistão nesta quarta-feira, dia 26, segundo a emissora britânica BBC em uma publicação citando fontes do governo afegão. O Pentágono fala em "ataque complexo" e diz que há ainda 12 militares americanos entre os mortos e ao menos 15 agentes feridos.

 

Imagens feitas por jornalistas afegãos mostram dezenas de corpos enfileirados e cobertos próximos ao local da explosão. Ao menos duas explosões foram registradas o aeroporto internacional de Cabul, capital do Afeganistão. A Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) confirmou que foi um atentado terrorista e o Talibã condenou o ataque.

 

O aeroporto internacional Hamid Karzai é a única porta de saída do país para milhares de estrangeiros e afegãos que tentam, desesperados, embarcar nos voos de retirada organizados pelos países ocidentais.

Homem ferido é transportado em maca após duas fortes explosões no aeroporto de Cabul, no Afeganistão (Foto: Wakil Kohsar/AFP)

"Podemos confirmar que a explosão no portão da Abadia foi o resultado de um ataque complexo que resultou em várias vítimas americanas e civis", afirmou o porta-voz do Pentágono, John Kirby. "Podemos confirmar pelo menos uma outra explosão no hotel Baron ou próximo a ele, a uma curta distância do portão da Abadia", completou.

 

■ FOTOS E VÍDEO: Atentado terrorista deixa mais de 70 mortos no Afeganistão

 

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, disse que "condena veementemente o horrível ataque terrorista fora do aeroporto de Cabul". "Nossa prioridade continua sendo evacuar o máximo de pessoas para um local seguro o mais rápido possível".

 

Duas fontes do governo americano disseram à agência de notícias Reuters que ao menos uma das explosões parece ter sido um ataque suicida causado por uma bomba.

 

Uma autoridade dos EUA disse à agência Associated Press que "definitivamente acredita" que o ataque foi executado pelo Estado Islâmico, grupo terrorista que é mais radical do que o Talibã e que criticou o acordo de paz responsável pela retirada estrangeira do Afeganistão.

 

Segundo a agência Reuters, o grupo extremista assumiu a responsabilidade do ataque em um canal do Telegram. A informação não foi confirmada.

 

O porta-voz do Talibã, Zabihullah Mujahid, afirmou que "o Emirado Islâmico condena veementemente o bombardeio de civis no aeroporto de Cabul, ocorrido em uma área onde as forças dos EUA são responsáveis pela segurança".

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.