China declara fim do pico do coronavírus; mundo tem mais de 200 mil casos

Em meio ao pânico global causado pela pandemia do novo coronavírus, uma boa notícia sobre o combate da doença vem da China

Por Oeste Mais

19/03/2020 09h34 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Em meio ao pânico global causado pela pandemia do novo coronavírus, uma boa notícia veio da China, país onde a doença surgiu em dezembro do ano passado. O país anunciou na última quinta-feira, dia 12, que o pico de casos de COVID-19 já passou.

 

“Falando em termos gerais, o pico da epidemia passou na China“, disse Mi Feng, porta-voz da Comissão Nacional de Saúde. “O aumento de casos novos está caindo”.

 

Zhong Nanshan, o principal assessor médico do governo chinês, disse em uma coletiva de imprensa realizada que, contanto que os países levem os surtos a sério e estejam preparados para adotar medidas firmes, ele pode acabar em todo o mundo em questão de meses.

 

“Meu conselho é conclamar todos os países a seguirem as instruções da OMS (Organização Mundial da Saúde) e intervir em escala nacional”, disse. “Se todos os países se mobilizarem, pode acabar até junho”. As informações são da agência Reuters.

 

Enquanto na China, o número de infectados parece cair, mundo afora o número de casos confirmados do novo coronavírus já passa de 200 mil. Até esta quarta-feira, dia 18, o monitoramento feito pela Universidade Johns Hopkins mostrava 207.615 casos confirmados da covid-19, como ficou conhecida a doença causada pelo vírus. A Itália é o segundo país mais afetado pela epidemia, com mais de 30 mil casos, e o Irã vem em terceiro, com mais de 17 mil.

 

O número é diferente do divulgado pela Organização Mundial da Saúde. De acordo com a entidade, há cerca de 193 mil casos confirmados mundo afora. Vale notar que especialistas alertam para o fato de que os números no Irã podem estar subestimados, já que é difícil obter informações oficiais sobre a situação no país, um dos mais fechados do mundo.

Com informações da Revista Exame


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.