Cientistas americanos devem começar a testar vacina contra o coronavírus em humanos em até três meses

Prazo estabelecido para os testes é o mais rápido já feito pelo instituto dos EUA

Por Redação Oeste Mais

27/01/2020 11h17 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Um grupo de cientistas do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH, na sigla em inglês) deverá testar vacinas contra o coronavírus em humanos em até três meses, de acordo com a agência de notícias Reuters. A vacina será desenvolvida a partir do código genético desta nova mutação do coronavírus, conhecida como 2019-nCOV.

 

Conforme informações da Reuters, o grupo responsável pelo trabalho se reuniu pela primeira vez na semana passada. Como o trabalho do grupo é desenvolver testes em humanos contra ameaças à saúde, a primeira tarefa dos cientistas já se mostra como uma "prova de fogo" em meio ao avanço do coronavírus que, até esta segunda-feira, dia 27, já matou 81 pessoas na China.

 

Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA no NIH, afirmou que o prazo estabelecido é o mais rápido já feito pelo instituto.

 

A vacina será desenvolvida a partir do mapeamento genético do vírus, feito por cientistas chineses.

 

Durante o surto de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) de 2003, os cientistas dos EUA levaram 20 meses para passar da sequência genética até a primeira fase de testes em humanos. Naquela época, o surto estava sob controle.

 

Desta vez, grupos de pesquisa em todo o mundo já estão executando planos para testar vacinas, outros medicamentos e formas preventivas que impeçam o vírus de se espalhar pelo mundo.

Com informações do G1


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.