Motorista é condenado a mais de oito anos de prisão por mortes de ponteserradenses

Tragédia em 2012 provocou a morte de três moradores de Ponte Serrada na BR-282

Por Oeste Mais

28/07/2018 00:59 - Atualizado em 28/07/2018 01:04



Júri popular condenou motorista a oito anos e nove meses de prisão por acidente com três mortes em 2012 (Foto: Eder Luiz)

O motorista Vanderlei Chaves foi condenado nesta sexta-feira, dia 27, a oito anos e nove meses de prisão pelas mortes de três ponteserradenses em um acidente de trânsito ocorrido em setembro de 2012 na BR-282. O júri popular foi realizado em Joaçaba, município onde aconteceu a tragédia há quase seis anos.

 

O réu foi condenado por três homicídios simples e uma lesão corporal grave. Por decisão do juiz Marcio Humberto Bragaglia, que presidiu o julgamento, Vanderlei poderá recorrer em liberdade. Sete jurados formaram o conselho de sentença.

 

Todas as vítimas envolvidas no acidente eram de Ponte Serrada. Elas ocupavam um Golf, com placas do município. Vanderlei dirigia um Focus, com placas de Herval d’Oeste. Segundo a denúncia do Ministério Público, Vanderlei conduzia o Focus de forma perigosa quando atingiu o Golf na pista contrária, levando o carro a bater contra um caminhão, com placas de Ouro.

Julgamento foi realizado nesta sexta-feira no Fórum de Joaçaba (Foto: Caco da Rosa)

A tragédia no dia 7 de setembro de 2012, na BR-282 em Joaçaba, provocou a morte de três pessoas que estavam no Golf: Adriana Tobias, Janice Stecanela e o motorista Marco Antônio Trindade. O carro ainda era ocupado por Letícia Aparecida Alves, que sofreu ferimentos graves, mas se recuperou. Os motoristas do Focus e do caminhão sofreram lesões leves.

 

Na época, o teste de bafômetro realizado pela Polícia Rodoviária Federal não constatou embriaguez. Um exame toxicológico também descartou o uso de entorpecentes.

 

Vanderlei Chaves já respondia em liberdade e continuará solto durante o recurso contra a sentença. Ele deverá comparecer a cada 15 dias no Fórum, não pode se ausentar da comarca sem autorização judicial e está proibido de dirigir, tendo inclusive a inabilitação decretada pela Justiça.

Familiares das vítimas acompanharam júri popular em Joaçaba (Foto: Caco da Rosa)

COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.