Justiça Eleitoral de Concórdia busca identificar eleitor que filmou voto e divulgou vídeo na internet

Código Eleitoral proíbe o ato, passível de até dois anos de prisão por violação do sigilo do voto

Por Oeste Mais

09/10/2018 09:05



Um eleitor de Concórdia está sendo procurado pela Justiça Eleitoral depois de ter feito imagens do momento em que estava votando e compartilhado o vídeo em redes sociais, informou a rádio Atual FM na manhã desta terça-feira, dia 9.

 

O Código Eleitoral proíbe filmagens e divulgação do ato de votação. Conforme a Justiça Eleitoral, o eleitor poderá ser enquadrado no artigo 312 do Código Eleitoral, que determina até dois anos de prisão por violar o sigilo do voto.

 

De acordo com o chefe do Cartório Eleitoral de Concórdia, Moacir Tramontin, o episódio chegou ao conhecimento do órgão, que está buscando mais informações sobre o local de votação e o eleitor que fez as imagens.

 

O vídeo que a Justiça Eleitoral de Concórdia teve acesso mostra a urna eletrônica e o momento em que o eleitor estaria escolhendo o voto para presidência da República.

 

Ainda conforme a rádio Atual FM, a Justiça Eleitoral de Concórdia já teria identificado a sessão onde as imagens teriam sido feitas. O trabalho agora é concentrado na identificação do eleitor.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.