Homem é condenado a 81 anos de prisão por dois homicídios e uma tentativa

Genoir Dannenhauer foi julgado nesta semana por crimes cometidos no interior do município de Arabutã

Por Oeste Mais

28/09/2018 07:55



O réu Genoir Dannenhauer foi condenado nesta semana a 81 anos, cinco meses e dez dias de prisão pela prática de dois homicídios consumados, um homicídio tentado e crimes de corrupção de menores e porte ilegal de arma de fogo com numeração suprimida. O júri popular foi realizado na última quarta-feira, dia 26, em Ipumirim.

 

Os crimes ocorreram no dia 30 de março de 2016 e ficaram conhecidos na região como o caso da Linha Lajeado Guaraipo, local de residência das vítimas, no interior do município de Arabutã. Ocorrido na véspera do aniversário do município, este foi o único caso de homicídio registrado nos 25 anos de história de Arabutã e gerou grande comoção na região.

 

Após meses de investigação da Polícia Civil, com quebra de dados telefônicos, apreensões, oitiva de 32 pessoas e diversas diligências, o revólver de calibre 38, que havia sido utilizado para disparar contra as três vítimas, foi localizado. Logo na sequência, a autoria foi desvendada.

 

Crime

 

Segundo ação penal movida pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), Genoir, após minucioso planejamento, se reuniu com Nécio Mauro Hoch e um adolescente e coordenou as ações para o assassinato do próprio pai, que ocorreria na mesma noite.

 

Seguindo as orientações de Genoir, Nécio e o menor deslocaram-se de Seara para a Linha Guaraipo por estradas vicinais, com uma motocicleta furtada, evitando câmeras de segurança e levando a arma do crime, munições, toucas balaclava e luvas. Genoir encontrou os comparsas já nas proximidades da casa da vítima. Ao entrarem na residência, renderam Valdir e a enteada Stefani, de apenas dez anos de idade, que jogavam cartas enquanto Lisete, companheira de Valdir, cozinhava.

 

Durante a ação no interior da residência, o adolescente foi reconhecido por Lisete e então os três agressores decidiram tirar a vida não só de Valdir, mas também da companheira e da enteada. Um dos criminosos efetuou disparos à queima-roupa contra a cabeça das duas. Em seguida, atirou duas vezes na cabeça de Valdir. Stefani morreu na hora, Lisete foi socorrida, mas morreu a caminho do hospital. Apenas Valdir sobreviveu.

 

Genoir vai cumprir a pena em regime fechado, sem o direito de recorrer em liberdade. Nécio Mauro Hoch, que firmou acordo de colaboração premiada antes do oferecimento da denúncia do MPSC, foi condenado no mês de abril deste ano a 33 anos e dez meses de prisão.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.