Dono de churrascaria em Chapecó tem condenação mantida por furto de energia elétrica

5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina manteve pena a empresário

Por Oeste Mais

21/12/2018 10:10 - Atualizado em 21/12/2018 10:10


O proprietário de um restaurante em Chapecó teve mantida a condenação por furto de energia elétrica após ser julgado pela 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina. O crime teria ocorrido por cinco anos, entre maio de 2008 e junho de 2013.

 

Uma vistoria da Celesc, em 29 de junho de 2013, detectou um "gato" no estabelecimento. O comerciante recebeu pena de um ano e quatro meses de reclusão em regime aberto, posteriormente substituída por prestação de serviços à comunidade por igual período e multa no valor de R$ 13,5 mil. A Celesc informou nos autos que teve um prejuízo de R$ 54,2 mil com o furto da energia.

 

O réu, em apelação, pediu o reconhecimento de causa excludente de punibilidade sob a justificativa de ter quitado o débito com a empresa antes do oferecimento da denúncia. O pleito foi julgado improcedente pela câmara, em matéria sob a relatoria do desembargador Norival Acácio Engel.

 

"O ressarcimento posterior do prejuízo sofrido pela Celesc, decorrente da subtração de energia elétrica, ocorrido apenas em razão da descoberta da fraude por representantes da vítima e do risco de corte no fornecimento, não conduz à aventada constatação de que o elemento subjetivo específico do delito não estaria presente", afirmou o magistrado.

 

O acusado também solicitou a diminuição da pena e a redução do valor da prestação pecuniária, igualmente negadas pela câmara. A redução de pena, explicou o relator, é pautada na "espontaneidade do agente" e "celeridade na devolução" e, no caso presente, o acusado quitou suas dívidas somente três meses após ser descoberto. Em relação ao valor estabelecido para a prestação pecuniária, acrescentou, ela se mostrou compatível com a situação financeira do réu, sem motivo para atenuação. A decisão foi unânime.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.