Dois ex-diretores e ex-chefe de segurança de presídio são presos por suspeita de tortura

Crimes ocorreram entre 2012 e 2018, quando os três atuavam na unidade prisional, em Caçador

Por Oeste Mais

19/12/2018 16:07



Dois ex-diretores e um ex-chefe de segurança do presídio de Caçador, foram presos na terça-feira, dia 18, pelos crimes de tortura, corrupção passiva e concussão. Segundo a Polícia Civil, detentos e funcionários estão entre as vítimas dos suspeitos.

 

Conforme o delegado responsável pelas investigações, os crimes ocorreram entre 2012 e 2018, quando os três atuavam na unidade prisional.

 

Dois deles já estavam afastados desde abril, o então diretor Antônio Cícero de Oliveira e o ex-chefe de segurança Ediney Carlos Kasburg. Ambos respondem por um inquérito de improbidade administrativa movido pelo Ministério Público de Santa Catarina. O ex-chefe de segurança já cumpria pena pelo crime desde novembro.

 

Felipe Carlos Filipiacki estava exercendo até terça o cargo de agente prisional em Joaçaba. Ele chegou a ser diretor do presídio de Caçador e foi transferido para a Penitenciária Agrícola de Chapecó, onde também atuou como diretor.

 

Em Chapecó, ele foi exonerado do cargo em setembro depois que a companheira dele foi flagrada dirigindo uma viatura do Departamento de Administração Prisional (Deap) sem habilitação e sem utilizar o cinto de segurança.

 

A reportagem buscou as defesas dos suspeitos presos, mas até esta publicação apenas o advogado que defende Ediney, foi encontrado. Ele vai se inteirar dos fatos para um posicionamento.

 

Segundo Delfino, desde o começo do ano corria em paralelo ao inquérito civil o inquérito criminal contra os três. Ao menos 28 pessoas sofreram tortura dos três, conforme a investigação da Polícia Civil.

 

O caso foi encaminhado ao Judiciário. O Departamento de Administração Prisional confirmou em nota as prisões.

Com informações da Rádio Atual


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.