Disque-denúncia contra professores de Santa Catarina tem nova derrota no STF

Ministro acatou um pedido do MP para cassar a decisão do Tribunal de Justiça, que havia considerado o canal de denúncias legítimo

Por Oeste Mais

03/09/2019 16:44



O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), impôs uma nova derrota ao disque-denúncia contra professores proposto pela deputada estadual catarinense Ana Caroline Campagnolo (PSL).

 

Relator do processo na Suprema Corte, ele acatou um pedido do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) para cassar a decisão do Tribunal de Justiça de SC, que havia considerado o canal de denúncias legítimo.

 

Vale para todos

 

Fachin entendeu que a decisão monocrática da desembargadora catarinense Maria Santa Rita, que havia autorizado o disque-denúncia, contraria entendimento do STF, que proibiu o cerceamento de manifestações no contexto estudantil.

 

A decisão da Suprema Corte foi direcionada às universidades, mas para o ministro se estende a todos os ambientes escolares.

 

Mérito

 

Ainda falta análise do mérito no caso da deputada catarinense. Mas a posição do ministro relator indica qual é o seu entendimento. Ele diz, na análise da liminar, que o disque-denúncia incita alunos a se comportarem “como se agentes do Estado fossem, dando a entender que essa atuação é legítima, quando nem ao próprio Estado é conferido o poder de controlar tais manifestações”.

Com informações do NSC


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.