Cinco réus presos por morte de advogado vão a júri popular em julho

Joacir Montagna foi assassinado em agosto do ano passado enquanto estava no escritório

Por Oeste Mais

12/06/2019 18:47 - Atualizado em 12/06/2019 18:48



Dupla chegou com motocicleta no escritório de Joacir Montagna (Foto: Reprodução)

O julgamento dos quatro acusados pela morte do advogado Joacir Montagna, de 54 anos, ocorrido em Guaraciaba, serão julgados no dia 1º de julho pelo crime ocorrido no dia 13 de agosto de 2018. Um quinto acusado vai a julgamento por crime conexo de porte de arma de fogo e associação criminosa.

 

A vítima era servidor da Assembleia Legislativa de Santa Catarina (cedido para trabalhar na antiga Agência de Desenvolvimento Regional de São Miguel do Oeste e exercia advocacia.

 

Em virtude das limitações de ordem física do salão do Tribunal do Júri do Fórum da comarca de São Miguel do Oeste, a sessão de julgamento ocorrerá na Câmara de Vereadores do município. Os trabalhos serão iniciados às 9 horas e devem se estender por mais de um dia por conta da complexidade do processo.

 

Acusações

 

Três irmãos respondem por homicídio duplamente qualificado, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e associação criminosa. O tio deles é acusado de associação criminosa e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido. Já um quinto acusado será julgado por homicídio duplamente qualificado, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.

Joacir Montagna tinha 54 anos de idade (Foto: Divulgação)

Crime

 

De acordo com a denúncia, no dia 13 de agosto de 2018, dois acusados saíram de carro de Chapecó para Guaraciaba. Um terceiro  foi de motocicleta, com placa clonada e número do motor adulterado.

 

Nas proximidades do trevo de Guaraciaba, o homem que atirou no advogado embarcou na moto e os dois foram até o escritório da vítima. Sem retirar o capacete, ele teria anunciado um “assalto” para as funcionárias do escritório e pedido para levá-lo ao "doutor". Quando Joacir se abaixou atrás da mesa de trabalho, em menção de pegar o dinheiro, o acusado teria atirado, acertando a cabeça da vítima.

 

Sem levar nada, os acusados fugiram com a motocicleta, abandonada no interior do município de Guaraciaba. Depois eles teriam voltado de carro para Chapecó. Os cinco foram presos preventivamente no decorrer das investigações. A motivação do crime é apurada pela Polícia Civil em outro inquérito que tramita em segredo de justiça.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.