Padrasto e mãe são denunciados pelo MP por tortura, estupro e homicídio de menina de 11 anos

Luna Nathielli Bonett foi estuprada e violentamente agredida pelo homem, o que causou a morte dela

Por Redação Oeste Mais

01/08/2022 16h58



Menina morreu após ser espancada pelo padrasto (Foto: Divulgação)

O Ministério Público de Santa Catarina denunciou um casal por tortura, estupro e homicídio da menina Luna Nathielli Bonett, de 11 anos, que foi brutalmente agredida até a morte, em Timbó.

 

De acordo com o que foi apurado nas investigações, os acusados – mãe e padrasto – como forma de aplicar castigos à menina, passaram a agredi-la diariamente, com socos, tapas, golpes com chinelos e surras com pedaços de mangueiras de jardim.

 

Segundo os Promotores de Justiça que assinam a ação, Alexandre Daura Serratine e Tiago Davi Schmitt, a violência física era acompanhada de graves ameaças, sempre visando aterrorizar a criança e reduzi-la, psicologicamente, a uma forma desumana, a proibindo até mesmo de frequentar a escola.

 

No dia 13 de abril, a violência aplicada foi tamanha, que a menina não resistiu a golpes contundentes contra o rosto, a cabeça e o tórax e morreu. O laudo cadavérico demonstrou, ainda, que na ocasião ela foi estuprada, pois apresentava ferimentos nas partes íntimas.

 

Após o homicídio, os réus apagaram a memória dos celulares e iniciaram a limpeza e reorganização da cena do crime para impedir o descobrimento da verdade. Em depoimento à polícia, a mãe ainda se acusou falsamente, assumindo toda a responsabilidade pela morte da filha, para proteger seu companheiro.

 

Ao receber a denúncia, o Juízo da Comarca de Timbó manteve os réus presos preventivamente. A partir do recebimento, tem curso o processo penal, no qual os acusados poderão exercer seu amplo direito à defesa e ao contraditório.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.