Mulher condenada por vender medicamento abortivo consegue prisão domiciliar

Advogada de defesa alegou que ela tem filhos menores e que necessitam da presença da mãe

Por Redação Oeste Mais

23/06/2022 16h16 - Atualizado em 23/06/2022 16h16



Uma mulher que foi condenada por vender medicamentos abortivos no município de Concórdia, conseguiu na justiça o direito da prisão domiciliar.

 

Conforme divulgado pela Atual FM, juntamente com um homem, ela havia recebido condenação de quatro anos de dois meses de prisão e estava detida há três meses.

 

A advogada de defesa da mulher alegou que a acusada tem filhos menores de idade e que necessitam da presença da mãe. Por conta disso, ela foi posta em liberdade, enquanto o homem, que era cumplice dela, permanece recolhido no sistema prisional do Estado.

 

O caso

 

Na denúncia à Justiça, o homem e ela teriam revendido o medicamento, proibido no Brasil, que provoca o aborto, a uma moradora que estava no sexto mês de gestação, em 2011.

 

Na época dos fatos, a Polícia Civil realizou um mandado de busca e apreensão na casa da vendedora e encontrou os medicamentos. Ela foi presa em flagrante.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.