Grávida que sofreu queimadura durante cesariana vai receber indenização

Mulher foi ferida com bisturi elétrico e não pôde trabalhar por aproximadamente dois meses

Por Redação Oeste Mais

03/06/2022 11h41 - Atualizado em 03/06/2022 11h41



Uma gestante de Araranguá, no litoral catarinense, será indenizada pelo Estado por ter sofrido queimadura com bisturi elétrico durante a cesariana no hospital da cidade. Além de danos morais e estéticos, ela será indenizada em valor referente ao custeio de cirurgia plástica para minorar o dano estético.

 

O caso aconteceu em dezembro de 2018 e a autora da ação não pôde trabalhar por aproximadamente dois meses.

 

O instituto que administra o hospital alegou que o procedimento que foi feito pela médica plantonista ocorreu sem autorização do hospital. Já o Estado argumentou que o hospital, de sua propriedade, é administrado pela organização e que não teve nenhuma participação na ocorrência.

 

A decisão destaca que “não há dúvida de que houve imperícia no manuseio do bisturi elétrico”, pois é fato incontroverso que o instrumento teve contato com outra área do corpo da autora além daquela na qual seria utilizado, e que os requeridos são sim responsáveis pelas consequências desta imperícia.

 

No entanto, conforme convênio firmado entre o Estado e a OS, a organização deve ressarcir ao primeiro o montante da condenação, já que o fato ocorreu durante o seu período de administração e por médica que atuava na instituição.

 

A autora da ação será indenizada em R$ 15 mil por danos morais, R$ 10 mil em danos estéticos, R$ 1.908 por lucros cessantes e R$ 11 mil para custeio de cirurgia estética, valores acrescidos de juros e correção monetária. 


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.