MPT identifica 18 trabalhadores em situação irregular no plantio de cebola em Santa Catarina

Eles saíram de Pernambuco e conheceram uma pessoa em SC que se ofereceu para “agenciar” contratações em diferentes propriedades para a plantação de cebola

Por Redação Oeste Mais

31/08/2021 15h02 - Atualizado em 31/08/2021 15h02



O Ministério Público do Trabalho (MPT) identificou na última sexta-feira, dia 27, 18 trabalhadores contratados de forma irregular no interior de Santa Catarina.

 

Eles vieram de Pernambuco em busca de emprego e já em território catarinense conheceram uma pessoa que se ofereceu para “agenciar” as contratações em diferentes propriedades para a plantação de cebola, na região de Ituporanga.  O homem conhecido como “gato” fugiu com todo o dinheiro que deveria ser repassado às vítimas.

 

Os trabalhadores estavam divididos em dois grupos. Aceitaram receber R$ 7,50 a cada mil mudas de cebola plantadas. Nove deles estavam alojados numa casa dentro da propriedade onde prestavam o serviço e outros nove em um imóvel alugado por eles, no centro de Imbuia, no Alto Vale do Itajaí.

 

O dono da plantação disse ter repassado ao aliciador R$ 11 mil para ser dividido entre os trabalhadores. O homem fugiu com todo o dinheiro, deixando os nordestinos sem salário e comida, e sob ameaça de despejo da casa alugada.

 

A inspeção na propriedade foi realizada pelo procurador do Trabalho Acir Alfredo Hack, Coordenador da Conaete no MPT-SC, com o auxílio da Polícia Federal, após denúncia encaminhada pela reportagem da emissora SCC SBT. Conforme o procurador, o trabalho análogo ao de escravo não foi identificado, mas sim irregularidades trabalhistas graves como falta de registro profissional e de pagamentos pelos serviços realizados.

 

O dono da propriedade se comprometeu em assinar a carteira de trabalho dos nordestinos, pagar pelos serviços prestados e não repassados pelo aliciador e arcar com as verbas rescisórias daqueles que desejarem retornar ao destino de origem, já que a época do plantio de cebola está terminando. O pagamento será feito nesta terça-feira, dia 31, e acompanhado pelo procurador do Trabalho Piero Rosa Menegazzi, responsável pela Procuradoria do Trabalho no Município de Blumenau, que abrange a cidade de Imbuia.

 

As investigações seguem para identificação do aliciador que após saber que houve a denúncia está ameaçando o dono da plantação e os trabalhadores vítimas do golpe.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.