Condenados detentos que mataram colega de cela de penitenciária em SC

Um dos réus foi o mandante do crime, enquanto os outros dois imobilizaram a vítima e a mataram com uma barra de ferro

Por Redação Oeste Mais

23/07/2021 08h34 - Atualizado em 23/07/2021 08h34



Três homens que mataram um colega de cela no Complexo Penitenciário de São Pedro de Alcântara, denunciados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), foram condenados pelo Tribunal do Júri da Comarca de São José nesta quarta-feira, dia 21.. O crime ocorreu em 2 de agosto de 2018. As penas aplicadas variam entre 17 e 22 anos de prisão. 

 

Dois dos réus mataram Aldori Madruga dos Santos Filho com uma barra de ferro. Ele morreu por politraumatismo, decorrente de diversos golpes no tórax e no pescoço. A morte teria sido motivada por Aldori ter traído uma organização criminosa. A perícia feita em um bilhete mostrou que outro preso, foi o mandante do crime. 

 

As investigações demonstraram que os réus ainda ameaçaram de morte outro detento e o obrigaram a assumir o crime. Inicialmente o homem assumiu a culpa, mas os depoimentos mostraram não haver indícios suficientes de sua autoria ou participação para levá-lo ao júri. 

 

Em sua sustentação no Tribunal do Júri, a Promotora de Justiça Letícia Baumgarten Filomeno argumentou que os réus impediram a defesa da vítima, pois o imobilizaram para cometer o crime. 

 

O Conselho de Sentença considerou os três réus culpados por homicídio qualificado - pelo motivo fútil e por impossibilitar a defesa da vítima. A pena aplicada pelo Juízo do Tribunal do Júri foi de 17 anos e 5 dias de prisão para Alexsandro da Silva; de 19 anos e 20 dias de prisão para Magaiver Machado; e de 22 anos e 18 dias de prisão para Rodrigo Oliveira Teixeira.

 

 As penas serão cumpridas em regime inicial fechado e sem o direito de apelar da sentença em liberdade. A decisão é passível de recurso.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.