Mulher é condenada por desacatar policiais em Ipira

Sentença dada é pena de sete meses e 15 dias de detenção, em regime aberto

Por Oeste Mais

02/08/2019 14h52 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Uma mulher acabou sendo condenada pelos crimes de desobediência e desacato, em Ipira. De acordo com os autos, na madrugada de 21 de maio do ano passado, ela se intrometeu no serviço de dois policiais militares e os insultou.

 

A dupla averiguava uma denúncia de lesão corporal praticado por um homem em via pública quando ela chegou, aos gritos, batendo com as mãos no peito: “atira em mim, me dá um tiro", "me prende, me prende". Os PMs ordenaram que a apelante se afastasse, mas ela permaneceu onde estava e os chamou de vagabundos.

 

Conforme os autos, a mulher tinha ingerido bebida alcoólica minutos antes, mas o motivo da fúria momentânea permanece um mistério. O juiz Daniel Radünz, titular da 2ª Vara da comarca de Capinzal, sentenciou a ré a pena de sete meses e 15 dias de detenção, em regime aberto, mas substituiu a pena privativa de liberdade por uma multa no valor de um salário mínimo.

 

A mulher recorreu e pleiteou a aplicação do princípio da consunção ou da absorção, utilizado quando ocorre uma sucessão de condutas dependentes umas das outras. Por este princípio, o delito mais grave absorve o mais leve. Ou seja, ela queria ser julgada por apenas um crime, o de desacato - e não pelos dois.

 

Diante destes argumentos, os desembargadores mantiveram por unanimidade a sentença de 1º grau. A decisão foi publicada no dia 1º de agosto.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.