Justiça condena cigano a mais de 100 anos de prisão por abusar de criança

Vítima de 11 anos teria se casado com o homem e passava a ser agredida

Por Oeste Mais

23/01/2019 15h51 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Um homem foi condenado a mais de 100 anos de prisão em regime fechado por estupro de menor, em Campos Novos.

 

A defesa do réu, integrante de uma comunidade cigana, baseou no pretenso consentimento da vítima e, principalmente, na ação ter se pautada pelas tradições ciganas, argumentos rechaçados ao final do processo.

 

Segundo denúncia do Ministério Público, o réu se aproveitou da relação que mantinha com a vítima e com ela contraiu casamento de acordo com as tradições ciganas.

 

A partir daí, praticou inúmeros atos de abuso sexual em diversas oportunidades, também imobilizando a criança por amarras nos braços e pernas. Os atos sexuais foram presenciados por diversas pessoas, que inclusive auxiliaram o réu no preparo da conduta criminosa.

 

O homem foi condenado a 110 anos de prisão. O processo tramitou em segredo de justiça. Há possibilidade de recurso ao Tribunal de Justiça.

Com informações do Tribunal da Justiça


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.