Promotor se manifesta após júri popular que absolveu Sabiá

Fernando Rodrigues de Menezes Júnior recorreu da decisão e diz que ainda ‘acredita na Justiça’

Por Oeste Mais

17/07/2013 20h21 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



O promotor Fernando Rodrigues de Meneses Junior preferiu nem gravar entrevista ao final do júri popular que absolveu Itamar Donin (Sabiá) na noite da última sexta-feira, dia 12, em Ponte Serrada.


A exemplo da maioria da comunidade, Fernando saiu da Associação Atlética Aimoré, onde ocorreu a sessão de julgamento, transparecendo um sentimento de perplexidade pelo resultado.


O que levou a maioria dos jurados a absolver Sabiá? O promotor tentou responder a pergunta ao falar pela primeira vez sobre o caso após a absolvição. “Os jurados levaram em conta a defesa da honra”, analisou.


Neste sentido, o que teria pesado para a decisão foi justamente o histórico de relatos de desavenças entre Sabiá e Soda. “O mais decepcionante é que prevaleceu uma visão machista e antiquada”, considerou Fernando.


Mesmo com a soberania dos jurados, pressuposto praticamente intocável quando a tentativa é reverter uma decisão de júri popular, o promotor acredita na anulação por parte do Tribunal de Justiça (TJ). Mas adianta não ser possível prever daqui a quanto tempo o TJ vai se manifestar.


Sabiá foi absolvido completamente de qualquer pena, inclusive do porte de arma, ao responder pelo assassinato de Francis Romani (Soda). Acusado de disparar mais de uma dezena de tiros contra Soda, no dia 16 de abril de 2012, o homem deixou a sessão e foi direto para casa.



COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.