Sétima soltura de papagaios-de-peito-roxo será feita no Parque Nacional das Araucárias

Unidade de preservação ambiental fica entre Passos Maia e Ponte Serrada e teve espécie reintroduzida por projeto iniciado em 2010

Por Oeste Mais

12/03/2019 11:49 - Atualizado em 12/03/2019 11:49


O Instituto Espaço Silvestre prepara uma nova soltura de papagaios-de-peito-roxo no Parque Nacional das Araucárias, unidade de preservação ambiental entre os municípios de Passos Maia e Ponte Serrada. Ao todo, 36 aves serão soltas para voar livremente.

 

Desde 2010, quanto um projeto de reintrodução da espécie ameaçada de extinção foi implantado no local, 153 papagaios-de-peito-roxo já foram soltos do parque. A maioria é vítima do tráfico ilegal de animais silvestres. Alguns são nascidos em zoológicos e criadouros licenciados.

Mais 36 papagaios serão soltos no Parque Nacional das Araucárias (Foto: Divulgação/Instituto Espaço Silvestre)

“Todas as aves passam por um rigoroso processo de reabilitação, que inclui exames clínicos e laboratoriais, análise genética, além de treinamentos comportamentais que os preparam para a vida na natureza. Solturas anuais, como a que será realizada, são necessárias para ajudar a repovoar a região”, afirma a PhD Vanessa Tavares Kanaan, diretora técnica do Instituto Espaço Silvestre.

 

Segundo ela, a equipe monitora diariamente os papagaios e filhotes nascidos na natureza, contando também com o apoio da comunidade, por meio da ciência cidadã. “Para reduzir as ameaças que levaram à extinção local do papagaio-de-peito-roxo, o Instituto Espaço Silvestre também mantém o projeto de educação ambiental e de geração de trabalho e renda para mulheres que vivem na região do Parque Nacional das Araucárias”, lembra a bióloga.

 

Por meio do projeto, o grupo de mulheres conhecidas como “Amigas dos Roxinhos” produz camisetas, aventais, bolsas, lixinhos para carro e várias outras peças. Todo o material artesanal está disponível para venda nas associações locais e através de uma lojinha virtual.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.