Profissionais de municípios de SC serão capacitados para acolher imigrantes

Apoio ao imigrante já é oferecido pelo estado em 383 Cras e 100 Creas

Por Oeste Mais

12/06/2019 08:20



Os profissionais que atuam nos Centros de Referência em Assistência Social (Cras) e Centros de Referência Especializados em Assistência Social (Creas) de todos os municípios catarinenses receberão capacitações sobre a política de acolhimento de imigrantes.

 

Entre as diversas modalidades está o programa Capacita Suas, a ser executado em Chapecó, Criciúma, Joaçaba, Joinville, Lages, Mafra, Palhoça, Rio do Sul e São Miguel do Oeste, abrangendo nove polos regionais. A data ainda será divulgada.

 

Conforme a secretária de Estado da Assistência Social, Trabalho e Habitação (SST), Maria Elisa De Caro, o apoio ao imigrante já é oferecido pelo estado em 383 Cras e 100 Creas, com o suporte de 8,5 mil servidores. São profissionais especializados em serviço social, psicologia, sociologia e mais 11 graduações.

 

“Em todas as cidades são os serviços de Cras e Creas que abrem as portas aos imigrantes e refugiados que estão chegando por lá. São nestes equipamentos que eles recebem as primeiras orientações, atendimento psicossocial e demais articulações com a rede. Nosso dever enquanto estado é capacitar mais, acolher melhor e é isto que estamos fazendo. Desta forma estamos também expandindo o serviço”, explica.

 

Mais de 5 mil imigrantes

 

A diretora de Direitos Humanos, Karina Euzébio, afirma que nos registros do CadÚnico de Santa Catarina, 5.762 imigrantes são atendidos. Os beneficiados pelo programa Bolsa Família chegam a 1.857. Segundo ela, em 190 municípios já foram atendidas 85 nacionalidades diferentes.

 

Karina destaca as boas práticas realizadas nos Cras. Um dos exemplos ocorre em Chapecó, onde a contratação de imigrantes em diferentes secretarias municipais permite a inclusão deles no serviço público, oportunizando que façam parte do processo de construção de uma política participativa.

 

“Em Chapecó existem imigrantes nos serviços de educação e assistência social. Eles facilitam os acessos às políticas públicas, intermediando as diferenças culturais e linguísticas, tornando a integração e inclusão social uma realidade naquele município”, pontua.

 

Crai tem prazo de validade

 

O Centro de Referência de Atendimento ao Imigrante (Crai) surgiu com prazo para encerrar em Santa Catarina. É um contrato entre o governo do estado e a Ação Social Arquidiocesana (ASA), no valor de mais de R$ 764 mil.

 

O contrato previa encerramento das atividades em setembro de 2018. De acordo com a secretária da SST, Maria Elisa, houve um aditivo para manter o serviço até setembro deste ano.  Legalmente não pode ser prorrogado novamente.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.