Pela primeira vez curso do Corpo de Bombeiros Militar tem participantes internacionais

Curso iniciou na última segunda-feira, e deve seguir até este sexta-feira, em Xanxerê

Por Oeste Mais

27/06/2019 08:51



O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina está realizando o Curso de Intervenções em Áreas Deslizadas, desde a última segunda-feira, dia 24, em Xanxerê. O curso está acontecendo no Centro de referência em Desastres Urbanos do município, e segue até esta sexta-feira, dia 28.

 

Conforme os bombeiros, esta é a primeira vez que participantes internacionais realizam a certificação no estado.

 

O CBMSC é referência nacional em atendimentos de situações extremas e é acionado para atuação em diversos estados, como foi o caso de Brumadinho (MG). Também é tradição que a corporação receba militares de outras regiões para aperfeiçoamento na corporação catarinense.

 

 “Os deslizamentos são os mais mortais dos desastres que afetam Santa Catarina e há uma grande demanda para esse curso, tanto para o fortalecimento dos nossos bombeiros militares, que atuam nas Forças-Tarefa, quanto para os militares de outros estados, que utilizam o nosso curso como referência. Nesta edição contamos, pela primeira vez, com dois oficiais bombeiros internacionais, de Misiones, Argentina, reforçando a nossa experiência e o destaque do CBMSC”, exalta o Tenente Coronel Walter Parizotto, comandante do 14º Batalhão Bombeiro Militar e responsável pelo curso.

Bombeiros participam de Curso de Intervenções em Áreas Deslizadas (Fotos: Divulgação)

Intervenção em Áreas Deslizadas

 

A atividade de deslizamentos, chamada de intervenção em áreas deslizadas, é a segunda atividade mais perigosa enfrentada pelo CBMSC, ficando atrás apenas do mergulho autônomo. Por isso o curso voltado para esta operação, demanda bastante logística, equipamentos e os alunos participam de instruções durante o dia, a noite e também a madrugada, empregados durante 24 horas, sem descanso.

 

O curso inicia com uma parte teórica, em que os alunos aprendem sobre a mecânica e fluidez do solo, além de geografia, topografia de rios, encostas, morros, ministrada por professores com mestrado na área.

 

Já na parte prática os alunos aprendem a manusear os equipamentos, acessórios e ferramentas necessárias, específicas para a atuação neste tipo de situação.

 

O símbolo do curso, o brevê, é o tatu, que simboliza um bombeiro militar preparado para atuar na lama, como é aplicado no curso, já que nestas situações os profissionais realizam intervenções neste tipo de solo.




COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.