Mais de 30 novos papagaios são reintroduzidos no Parque das Araucárias

Terceira soltura foi realizada por equipe que coordena projeto de reintrodução da espécie

Por Oeste Mais

06/06/2015 08:07 - Atualizado em 25/10/2015 14:01



Há pouco mais de quatro anos o céu do Parque Nacional das Araucárias voltou a ser povoado por uma ave extinta na região. O papagaio-de-peito-roxo, espécie ainda ameaçada de extinção, foi reintroduzido em uma área entre os municípios de Ponte Serrada e Passos Maia por um projeto desenvolvido pelo Instituto Espaço Silvestre.

Mais uma prova de sucesso da iniciativa veio nesta semana, com 33 novos papagaios soltos no local. Eles já voam livremente, mas ainda receosos. Vão aos poucos se aventurando a sair do viveiro para observar do alto toda a exuberância do Parque Nacional das Araucárias, cenário da nova morada. Uma morada de quintal sem grades, onde o céu é o limite.

“A maioria dos papagaios é vitima do tráfico de animais silvestres. Eles foram apreendidos e encaminhados para o projeto. Temos seis aves nascidas no Zoológico de Curitiba, que são filhotes de animais apreendidos, e a Mamalê, que é a filhote resgatada em Ponte Serrada alguns meses atrás”, relata Vanessa Tavares Kanaan, bióloga e doutora em zootecnia que coordena o projeto de reintrodução da espécie.

Antes da soltura, um trabalho de quatro a seis meses de reabilitação foi desenvolvido com cada uma das 33 aves. “O processo de soltura é lento. O viveiro é aberto todas as manhãs e os papagaios podem ir e vir conforme sua vontade, até que todos parem de voltar. Esta (sexta-feira, dia 5) é a primeira noite, e 14 dos 33 decidiram ficar do lado de fora do viveiro”.

Monitoramento

A coordenadora explica que agora a equipe vai monitorar os papagaios pelo visual e também por rádios-colares presos neles. “As pessoas da comunidade também estão convidadas a participar do monitoramento, através do nosso programa de cidadãos cientistas. Todos podem anotar o local, data e número de aves avistadas e repassar para o Instituto Espaço Silvestre”, orienta.

Quatro anos de projeto

Em janeiro de 2011 foram soltos os primeiros 13 papagaios. Depois, no dia 30 de setembro de 2012, mais 30. Com outros 33 soltos nesta semana, o projeto reintroduziu 76 aves na natureza. Mas saber quantas sobrevoam o parque atualmente é impreciso. “Alguns morreram ou foram capturados. Outros reproduziram. Durante o censo mundial da espécie realizado no mês passado, foram contabilizados nove indivíduos em uma tarde de contagem em Passos Maia e Ponte Serrada”, cita Vanessa.

Questionada sobre os resultados do projeto nesses primeiros quatro anos, a bióloga não esconde a empolgação. “Os resultados são excelentes. Graças à colaboração de membros da comunidade, conseguimos reduzir as ameaças que levaram a espécie à extinção na região. As aves soltas estão reproduzindo, sendo que um filhote foi resgatado por moradores de Ponte Serrada. Pedimos que a comunidade continue colaborando através de denúncias de retirada de animais da natureza e monitoramento das aves soltas. Qualquer dúvida, podem entrar em contato conosco no telefone (48) 8424-8590, ou através das delegacias de Passos Maia e Ponte Serrada”, orienta a coordenadora.





COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.