Proprietários de terras no Oeste recebem por conservar a natureza

Ao todo, 249 propriedades de Santa Catarina estão na lista do projeto de Pagamento por Serviços Ambientais

Por Redação Oeste Mais

12/03/2017 10h38 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



A preservação da mata nativa em áreas localizadas dentro dos Corredores Ecológicos Timbó e Chapecó tem sido compensadora para 249 proprietários rurais. Desde 2015, o projeto de Pagamento por Serviços Ambientais (PSA) investiu R$ 500 mil pela conservação de mais de 1,5 mil hectares de florestas de araucárias. O programa é realizado pela Fundação do Meio Ambiente (Fatma), em parceria com a Epagri e a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Sustentável (SDS), por meio do programa SC Rural.

 

O pagamento pela preservação varia de R$ 87,50 a R$ 350 por hectare/ano, dependendo da qualidade ambiental da área. Cada propriedade pode receber no máximo R$ 12 mil e por um período de até três anos. “Superamos a nossa meta inicial que era de mil hectares. É muito produtivo ver o engajamento dos proprietários”, conta a bióloga Shigueko Ishiy, coordenadora do subcomponente Gestão de Ecossistemas da Fatma.

 

Neste ano, a equipe dos Corredores Ecológicos deve realizar o pagamento de uma nova etapa. As áreas prioritárias serão mais próximas uma das outras para incentivar ainda mais a preservação. Por enquanto, não há previsão da inserção de novas propriedades.

 

O que são Corredores Ecológicos

 

O programa, criado por decreto em 2010, visa unir a conservação da natureza ao desenvolvimento local e regional integrando a realidade do agricultor à preservação ambiental. Os Corredores Ecológicos abrangem as bacias hidrográficas dos rios Chapecó e Timbó, no Oeste e Planalto Norte. A área, que soma 10 mil km², abrange 34 municípios e corresponde 10,7% da área do território catarinense.

 

O corredor Ecológico Timbó abrange 11 municípios: Bela Vista do Toldo, Caçador, Calmon, Canoinhas, Irineópolis, Lebon Régis, Major Vieira, Matos Costas, Porto União, Santa Cecília e Timbó Grande. O Corredor Ecológico Chapecó abrange 23 municípios: Abelardo Luz, Água Doce, Bom Jesus, Coronel Martins, Entre Rios, Faxinal dos Guedes, Galvão, Ipuaçu, Jupiá, Lajeado Grande, Macieira, Marema, Novo Horizonte, Ouro Verde, Passos Maia, Ponte Serrada, Quilombo, Santiago do Sul, São Domingos, São Lourenço do Oeste, Vargeão, Vargem Bonita e Xanxerê.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.