Acidentes com lagartas aumentam no Oeste de Santa Catarina

Vigilância Epidemiológica orienta como evitar animais peçonhentos comuns ao longo do verão

Por Oeste Mais

10/01/2017 17h48 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Lagarta do gênero Lonomia (Foto: Augusto Togushi)

A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive/SC), foi notificada sobre o aumento no número de acidentes por animais peçonhentos envolvendo lagartas do gênero Lonomia na região Oeste.

 

Nos primeiros dias de janeiro foram registrados pelo Centro de Informações Toxicológicas (CIT/SC) 12 atendimentos na região, sete deles no município de São Miguel do Oeste.

 

A Vigilância Epidemiológica alerta todos os serviços de saúde do estado, principalmente os localizados nos municípios da região Oeste, para a ocorrência de casos.

 

O órgão traz as seguintes orientações para a prevenção:

 

- Evite locais ou situações de risco para acidentes com animais peçonhentos (florestas, matas, trilhas, atividades de lazer, de limpeza, serviços de jardinagem, entre outros), utilize sempre equipamentos de proteção individual (EPI), como luvas de couro, sapatos fechados e roupas de manga longa;

 

- Evite o contato com qualquer tipo de lagarta. Observe atentamente as folhas e troncos das árvores;

 

- Pinte de branco os troncos das árvores próximas às residências. Facilite a visualização das lagartas urticantes;

 

- Verifique se as folhas das plantas foram consumidas por insetos;

 

- As vítimas de acidentes com lagartas devem ser encaminhadas imediatamente para unidades de saúde, onde serão tratadas conforme sintomas e gravidade. Para o tratamento são realizados exames laboratoriais e utilizados, se necessário, soro antilonômico.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.