Campanha de mobilização estadual contra o mosquito da dengue prevê ações em todos os municípios

Todas as sextas-feiras devem ser dedicadas para a verificação e eliminação de possíveis focos

Por Oeste Mais

11/12/2016 11h17 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



A campanha estadual de mobilização contra o Aedes aegypti, mosquito transmissor do vírus da dengue, zika e febre de chikungunya, foi lançada oficialmente pelo governo do estado neste final de semana.

 

Seguindo a campanha lançada pelo Ministério da Saúde, os municípios de Santa Catarina deverão se mobilizar em mutirões de vistoria em órgãos públicos e estatais, unidades de saúde, escolas, residências, canteiros de obras e outros locais.

 

A proposta é que, a partir do Dia de Mobilização, todas as sextas-feiras sejam dedicadas para a verificação e eliminação de possíveis focos, incentivando os segmentos da sociedade a fazer a sua parte. “Estamos nos aproximando da temporada de verão, que é o período crítico do ponto de vista de reprodução e de transmissão da doença, por isso esta mobilização”, aponta o secretário de Estado da Saúde, João Paulo Kleinübing.

 

A ideia do estado é também usar praticamente 600 mil alunos, todo o contingente de professores, funcionários e gestores da rede estadual de ensino para reforçar a mobilização contra o Aedes aegypti. A Secretaria de Estado da Educação também está orientando as escolas para a manutenção da vigilância dos prédios durante o período de férias, com a verificação e eliminação de potenciais criadouros do mosquito.

 

Neste ano já foram investidos R$ 2,3 milhões no Programa de Controle da Dengue em Santa Catarina, considerando a aquisição de quatro caminhonetes, quatro máquinas para aplicação de UBV pesado, nove carros, 20 bombas costais, 15 microscópios e equipamentos de proteção individual.

 

O governo do estado também contratou 20 técnicos para a força tarefa de aplicação de inseticida e 11 biólogos. Houve 1.775 supervisões e assessorias e capacitações de 300 agentes de combate às endemias de e nas reformas dos laboratórios de Entomologia, em Florianópolis e Araranguá. Um novo laboratório começará a ser construído em Canoinhas, ampliando para 15 o número de laboratórios estaduais que fazem identificação de larvas de Aedes aegypti. Além disso, foram repassados mais R$ 1,7 milhões do governo federal para os 295 municípios e mais R$ 3,7 milhões do governo estadual para 66 municípios infestados ou em situação de risco, para fortalecimento das ações de prevenção ao mosquito.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.