Municípios do Oeste estudam tecnologias de reaproveitamento do lixo

Ideia é elaborar estudo de viabilidade para identificar a melhor opção

Por Oeste Mais

18/05/2016 12h27 - Atualizado em 17/04/2020 14h39



Prefeitos se reuniram em Chapecó para debater reaproveitamento do lixo (Foto: Divulgação)

Prefeitos dos municípios que fazem parte do Consórcio Iberê se reuniram nesta semana no gabinete do prefeito de Chapecó, Luciano Buligon. O assunto em pauta foi a gestão dos resíduos sólidos urbanos nos sete municípios consorciados: Chapecó, Caxambu do Sul, Cordilheira Alta, Planalto Alegre, Guatambu, Águas de Chapecó e São Carlos.

 

A ideia é elaborar um estudo de viabilidade para identificar a melhor tecnologia que proporcione resultados como investir menos, causar o menor impacto possível ao meio ambiente e, futuramente, até gerar renda com o aproveitamento dos resíduos para abater nos custos.

 

O primeiro passo foi dado com a elaboração do Plano de Resíduos Sólidos nos municípios, construído com a participação popular. “Já concluímos e sancionamos o plano, construído a muitas mãos. Cada município desenvolveu o seu trabalho e vem cumprindo metas. Chegou o momento de ir além, estudar rotas tecnológicas e identificar a melhor prática a ser aplicada na região. Na Europa, Japão e Estados Unidos, por exemplo, existem bons mecanismos que podem ser aplicados aqui”, complementou o prefeito de Chapecó.

 

A gestão dos resíduos sólidos urbanos aliada aos princípios de sustentabilidade é um tema amplamente discutido atualmente em função da quantidade excessiva de resíduos gerados. Nos países desenvolvidos, o fomento às tecnologias de reaproveitamento que transformam os resíduos em matéria-prima, como a reciclagem, por exemplo, e as tecnologias que focam na redução da quantidade de material aterrado, como a incineração, têm sido utilizadas.

 

Projeto

 

Na região o objetivo é que o trabalho possa ser desenvolvido de forma coletiva, entre todos os municípios do consórcio, e que se encontre uma alternativa que atenda à Política Nacional de Resíduos Sólidos e às necessidades dos municípios nos aspectos ambiental, social e econômico.

 

Segundo a Conselheira Executiva do Consórcio Iberê, Silvia Valdez, usinas de compostagem, de fabricação de energia ou de matéria-prima para a construção civil são exemplos que podem ser viáveis. “Mas é o estudo que irá apontar a melhor alternativa. E é nele que vamos trabalhar agora”, destacou.

 

Os prefeitos presentes manifestaram a intenção de fazer parte do projeto. Agora a equipe técnica do Consórcio Iberê vai formalizar o interesse dos municípios, por meio de um Protocolo de Intenções. “Após a criação da rede, formada pelos municípios interessados, vamos estruturar os grupos de trabalho e de sustentação com profissionais, entidades e demais interessados para iniciar efetivamente o estudo de viabilidade da melhor alternativa para os municípios consorciados”, concluiu Silvia Valdez.


COMENTÁRIOS

Os comentários neste espaço são de inteira responsabilidade dos leitores e não representam a linha editorial do Oeste Mais. Opiniões impróprias ou ilegais poderão ser excluídas sem aviso prévio.